Os bancos centrais arriscam desestabilizar o sistema financeiro caso estendam seus programas de compras de ativos por muito tempo, afirmou hoje Benoît Coeuré, membro do conselho de governadores do Banco Central Europeu (BCE).

Seus comentários acontecem no exato momento em que a instituição começa a debater o futuro de seu próprio programa de compras de ativos, e sublinham as diferentes opiniões dentro entre seus dirigentes.

Coeuré notou que os BCs de todo o mundo podem precisar utilizar cada vez mais ferramentas não convencionais de política monetária, uma vez que lidam com problemas novos como baixa produtividade e envelhecimento da população.

"Nessas circunstâncias, precisamos ter em mente os riscos à estabilidade financeira", afirmou em um discurso no Peterson Institute. "Um período muito longo de compras de ativos, pode causar desequilíbrios financeiros que podem levar a consequências adversas para a estabilidade dos preços".

O BCE se prepara para decidir como vai reduzir seu programa de compras de ativos, que injeta o equivalente a 60 bilhões de euros por mês nos mercados financeiros. O programa tem dezembro como prazo para terminar.

Peter Praet, economista-chefe da instituição, sugeriu recentemente que o programa pode ser estendido por mais tempo, talvez nove meses ou mais. Ele argumentou que a instituição precisa ser paciente e que fez progresso insuficiente em direção à sua meta de inflação de 2,0%.

Coeuré, no entanto, soou cauteloso e disse que tal abordagem pode ser arriscada. "É difícil acreditar que os bancos centrais podem manter grandes balanços por tempo considerável e que isso não vai ter impacto na intermediação financeira", disse. Fonte: Dow Jones Newswires.


Participe e comente