maringa.odiario.com http://maringa.odiario.com Maringá: Notícias em odiario.com, o maior portal da região pt-brhttp://www.odiario.com/Content/assets/img/logo_150x28.jpgodiario.comhttp://maringa.odiario.com Esportes Botafogo é pressionado, mas arranca empate com o Avaí aos 50 do segundo tempo esportes/noticia/2425619/botafogo-e-pressionado-mas-arranca-empate-com-o-avai-aos-50-do-segundo-tempo/ <p>O Botafogo se safou ao empatar com o Avaí por 1 a 1, nesta noite, na Ressacada, em Florianópolis, pela 29.ª rodada do Campeonato Brasileiro. Mesmo sem uma boa atuação, o time carioca buscou o empate aos 50 minutos do segundo tempo, com um gol de Marcos Vinícius. Antes disso, o experiente meia Marquinhos, cobrando pênalti, anotou para o time da casa. <br /><br />O empate que caiu do céu reabilitou, em partes, o Botafogo, que vinha de derrota no clássico para o Vasco, por 1 a 0. Além disso, manteve a equipe a sexta posição, agora com 44 pontos. O time não contou no banco com o técnico Jair Ventura, suspenso. Em seu lugar ficou o auxiliar Emílio Faro. <br /><br />O time catarinense, que tinha a vitória nas mãos, interrompeu a série de três derrotas consecutivas, mas agora não vence há seis. Perdeu uma posição e ocupa o penúltimo lugar, com 31 pontos, igual ao Coritiba, que leva vantagem no número de vitórias: oito a sete.<br /><br />O técnico Claudinei Oliveira escalou o Avaí com três atacantes, mesmo correndo o risco de perder o controle do meio-campo. Mas a estratégia não funcionou porque a bola não chegou ao ataque e não houve nenhum lance de perigo para o goleiro Gatito Fernández no primeiro tempo. O time carioca também estava sonolento e não criou absolutamente nada.<br /><br />Parecia ser uma noite de um péssimo futebol, mas tudo mudou no segundo tempo. O Avaí voltou com o experiente meia Marquinhos no lugar de Joel, totalmente avançado e na pressão em cima do visitante. As chances foram aparecendo. Aos seis minutos, num chute cruzado de Rômulo, Gatito defendeu em dois tempos.<br /><br />No minuto seguinte, após cruzamento de João Paulo para a pequena área, Júnior Dutra desviou de cabeça e Gatito espalmou. No rebote, o zagueiro Alemão ainda tocou de cabeça, mas para fora. Aos 11 minutos, outra chance incrível. João Paulo cobrou falta pelo lado direito e, no segundo pau, Marquinhos apareceu para cabecear em cima de Gatito, que cobriu bem o ângulo. <br /><br />A torcida catarinense só levou susto aos 12 minutos, quando Bruno Silva arriscou chute de fora da área e Douglas deu um tapinha para escanteio. O lance capital aconteceu aos 17 minutos. Após levantamento na pequena área, Gatito não alcançou e atrás dele o atacante Rodrigo Pimpão tocou o braço na bola. Pênalti. Na cobrança, Marquinhos foi tranquilo, deslocando Gatito, que ficou no meio do gol e viu a bola entrar no seu canto esquerdo aos 19 minutos.<br /><br />O time da casa aproveitou o momento positivo e quase ampliou o placar aos 21 minutos. Júnior Dutra foi lançado em velocidade, invadiu a área já driblando Gatito, porém, ficou sem ângulo para a finalização. Ele cruzou e Romulo bateu de primeira, mas Gatito já tinha voltado para o meio do gol para fazer a defesa.<br /><br />Na frente, o time da casa reforçou a marcação com as entradas de Simião e Capa, respectivamente, nas vagas de Pedro castro e Luanzinho. Mas contou com a sorte aos 39 minutos para não levar o empate. Após boa trama do ataque carioca, Rodrigo Lindoso finalizou no travessão de Douglas. <br /><br />A partir daí, o Avaí só se defendeu para tentar segurar a pressão. O jogo iria até os 49 minutos, mas, em uma falta ao Avaí, alguém segurou a bola fora de campo. O árbitro deu mais um minuto de acréscimos. No ataque seguinte, saiu escanteio e a bola pipocou na área, até o chute forte de Marcos Vinícius. Douglas ainda tocou na bola, mas não evitou o empate.<br /><br />No final de semana, os dos times voltam a campo pela 30.ª rodada. No domingo, o Avaí vai fazer um confronto direto pelo rebaixamento com a Ponte Preta, às 19 horas, em Campinas. O Botafogo vai atuar diante do líder Corinthians, no Engenhão, segunda-feira, às 20 horas.<br /><br />FICHA TÉCNICA:<br /><br />AVAÍ 1 X 1 BOTAFOGO<br /><br />AVAÍ - Douglas Friedrich; Leandro Silva, Fagner Alemão, Betão e João Paulo; Judson, Pedro Castro (Wellington Simião) e Luanzinho (Capa); Joel (Marquinhos), Júnior Dutra e Romulo. Técnico: Claudinei Oliveira.<br /><br />BOTAFOGO - Gatito Fernandez; Arnaldo, Igor Rabello, Marcelo e Victor Luis; Rodrigo Lindoso, Matheus Fernandes (Marcos Vinícius), Bruno Silva e João Paulo; Rodrigo Pimpão (Guilherme) e Brenner (Vinícius Tanque). Técnico: Emílio Faro (auxiliar).<br /><br />GOLS - Marquinhos, de pênalti, aos 19, e Marcos Vinícius, aos 50 minutos do segundo tempo. <br /><br />ÁRBITRO - Rafael Traci (PR).<br /><br />CARTÕES AMARELOS - Romulo, Leandro Silva, Pedro Castro (Avaí). Matheus Fernandes, Marcos Vinícius, Ygor Rabello e Rodrigo Pimpão (Botafogo).<br /><br />RENDA - R$ 114.435,00.<br /><br />PÚBLICO - 5.156 torcedores.<br /><br />LOCAL - Estádio da Ressacada, em Florianópolis (SC).</p> 2017-10-19T00:07:00-03:00 Esportes Perdido em campo, São Paulo é derrotado pelo Fluminense e segue pressionado esportes/noticia/2425615/perdido-em-campo-sao-paulo-e-derrotado-pelo-fluminense-e-segue-pressionado/ <p>O São Paulo desperdiçou nesta quarta-feira a chance de se distanciar da zona de rebaixamento do Brasileirão, ao ser derrotado por 3 a 1 para o Fluminense. O time parecia perdido no campo do Maracanã. Abusou das falhas na marcação e não conseguiu criar grandes oportunidades e jogadas de infiltração, mesmo com mais posse de bola.<br /><br />O resultado fará o São Paulo "dormir" na 14.ª posição do Brasileiro, com 34 pontos. O time volta à zona de rebaixamento ainda nesta rodada se Ponte Preta, Sport e Vitória derrotarem seus adversários hoje. Já o Fluminense subiu para 38 pontos e subiu para a décima posição.<br /><br />A vitória carioca começou no primeiro tempo de jogo, enquanto o time paulista abusava dos passes errados e não conseguia manter a bola em seu setor ofensivo. Perto dos 20 minutos, o árbitro Leandro Vuaden anotou pênalti para o time da casa após Junior Tavares tocar na bola com a mão dentro da área. Henrique Dourado converteu e abriu o placar. <br /><br />No lance seguinte, o zagueiro são-paulino Rodrigo Caio ficou no chão depois de disputa de bola com Gustavo Scarpa. O time paulista reclamou de falta, mas o árbitro seguiu o lance. Scarpa arrancou e achou Sornoza sozinho na entrada da área, para ampliar a vantagem.<br /><br />Atrás no marcador, o São Paulo voltou mais ofensivo no segundo tempo, e conseguiu ter mais posse de bola. Tentou infiltrações com Cueva e Maicosuel, mas foi o Fluminense que chegou com mais perigo, em chutes de Scarpa e Marcos Júnior.<br /><br />Aos 20 minutos da segunda etapa, Dorival sacou duas das referências do time, Pratto e Cueva, mudou praticamente todo seu setor ofensivo, mas ainda assim não teve grandes oportunidades. Nos minutos finais da partida, Arboleda empurrou Robinho dentro da área e o Fluminense teve mais um pênalti a seu favor. Robinho converteu e consolidou a vitória dos cariocas. <br /><br />O São Paulo descontou após jogada de Maicosuel, pela esquerda, que passou para Shaylon. O meia tentou cruzar na área, mas a bola desviou na zaga e enganou Diego Cavalieri. Só que já era tarde para uma reação.<br /><br />Pela 30.ª rodada do Campeonato Brasileiro, o São Paulo volta a campo no domingo, quando recebe o Flamengo no Pacaembu, às 17 horas. No mesmo dia, mas às 19h, o Fluminense visita a Chapecoense na Arena Condá.<br /><br />FICHA TÉCNICA:<br /><br />FLUMINENSE 3 X 1 SÃO PAULO<br /><br />FLUMINENSE - Diego Cavalieri; Marlon, Reginaldo, Gum e Lucas; Douglas, Sornoza (Mateus Norton), Richard, Marcos Junior (Robinho) e Gustavo Scarpa; Henrique Dourado (Pedro). Técnico: Abel Braga.<br /><br />SÃO PAULO - Sidão; Militão, Arboleda, Rodrigo Caio e Junior Tavares; Petros; Hernanes, Lucas Fernandes (Maicosuel), Cueva (Shaylon) e Marcos Guilherme; Lucas Pratto (Thomaz). Técnico: Dorival Junior. <br /><br />GOLS - Henrique Dourado, aos 22, e Sornoza, aos 23 minutos do primeiro tempo. Robinho, aos 39, e Shaylon, aos 43 minutos do segunto tempo.<br /><br />ÁRBITRO - Leandro Pedro Vuaden (RS).<br /><br />CARTÕES AMARELOS - Douglas, Reginaldo.<br /><br />PÚBLICO - 22.999 torcedores.<br /><br />RENDA - R$ 303.000,00.<br /><br />LOCAL - Estádio do Maracanã, no Rio (RJ).</p> 2017-10-18T23:54:00-03:00 Esportes Em jogo de pouca emoção, Corinthians empata com Grêmio e mantém vantagem na ponta esportes/noticia/2425616/em-jogo-de-pouca-emocao-corinthians-empata-com-gremio-e-mantem-vantagem-na-ponta/ <p>Para quem esperava um clássico com futebol de líder e vice-líder, rivalidade, emoção e um espetáculo, se decepcionou. Corinthians e Grêmio fizeram nesta quarta-feira um jogo fraco tecnicamente e com poucas chances de gol no estádio do Itaquerão, em São Paulo. O resultado de 0 a 0, pela 29.ª rodada do Campeonato Brasileiro, não é o ideal, mas está longe de ser um grande problema para o time do técnico Fábio Carille, que manteve a diferença em nove pontos para o Grêmio (59 a 50). Nesta quinta, se o Santos vencer o Sport, no Recife, ficará a sete pontos do rival alvinegro.<br /><br />Fábio Carille fez mistério sobre a escalação e acabou mandando a campo o time já esperado. A única alteração foi no posicionamento dos atletas. Jadson voltou a atuar pelo lado direito e não no esquerdo, como aconteceu nos últimos dois jogos. Neste lado, Romero foi quem ficou para auxiliar o lateral Guilherme Arana.<br /><br />A alteração surtiu pouco efeito. A única novidade foi a postura mais agressiva, principalmente no primeiro tempo. Talvez pela rivalidade e importância que a partida tinha, a maioria dos corintianos entrou ligado, como Romero, exemplo de dedicação. Tanta vontade em determinados momentos se transformou em ansiedade.<br /><br />O fato é que os dois times marcaram bem e Luan e Jô, os dois artilheiros, de quem mais se esperavam em campo, foram presenças bem discretas. O corintiano teve apenas uma chance no primeiro tempo, de cabeça, e mandou para fora.<br /><br />No intervalo, um dos raros momentos de emoção no Itaquerão. Um casamento foi realizado no gramado entre o intervalo dos dois tempos. Com a bola rolando, a equipe gaúcha se aventurou mais ao ataque. Aos 18 minutos, Fábio Carille resolveu colocar o amuleto Clayson no lugar de Jadson. Depois, colocou Marquinhos Gabriel no lugar de Romero. Mudanças corriqueiras nas últimas partidas.<br /><br />Com o passar do tempo, os rivais passaram a demonstrar cansaço e os espaços para atacar ficaram maiores. Assim, Edilson quase marcou pelo Grêmio, em chute de fora da área, defendido por Cássio e depois acertou a bola no travessão, em cobrança de falta. A melhor chance corintiana foi de Maycon, que tentou encobrir o goleiro Marcelo Grohe e mandou por cima do gol. Assim, o líder manteve a folga na tabela de classificação, mas também o mal futebol.<br /><br />FICHA TÉCNICA<br /><br />CORINTHIANS 0 x 0 GRÊMIO<br /><br />CORINTHIANS - Cássio; Fagner, Pedro Henrique, Balbuena e Guilherme Arana; Gabriel (Fellipe Bastos), Maycon, Jadson (Clayson), Rodriguinho e Romero (Marquinhos Gabriel); Jô. Técnico: Fábio Carille.<br /><br />GRÊMIO - Marcelo Grohe; Edilson, Pedro Geromel, Kannemann e Cortez; Jaílson, Arthur e Ramiro; Luan (Everton), Fernandinho (Beto da Silva) e Lucas Barrios (Jael). Técnico: Renato Gaúcho.<br /><br />CARTÕES AMARELOS - Fagner (Corinthians); Lucas Barrios (Grêmio).<br /><br />ÁRBITRO - Heber Roberto Lopes (SC).<br /><br />RENDA - R$ 2.231.124,40.<br /><br />PÚBLICO - 40.008 pagantes.<br /><br />LOCAL - Estádio Itaquerão, em São Paulo (SP).</p> 2017-10-18T23:46:00-03:00 Economia PL da Leniência: proposta é aprovada na Câmara e vai agora ao Senado economia/noticia/2425617/pl-da-leniencia-proposta-e-aprovada-na-camara-e-vai-agora-ao-senado/ <p>O plenário da Câmara rejeitou há pouco o único destaque que não havia sido retirado ao projeto de lei nº 8.843, o PL da Leniência. O destaque era do PSOL e propunha a votação em separado de trechos do PL. Rejeitado o destaque, o texto segue agora para o Senado.</p> 2017-10-18T23:45:00-03:00 Economia Plenário da Câmara aprova texto-base de projeto de lei da leniência para bancos economia/noticia/2425612/plenario-da-camara-aprova-texto-base-de-projeto-de-lei-da-leniencia-para-bancos/ <p>O plenário da Câmara aprovou há pouco, por 197 a 60 pontos, com 6 abstenções, o texto-base do projeto de lei nº 8.843, o PL da Leniência. A proposta trata do novo marco punitivo para instituições financeiras e do mercado de capitais, reguladas pelo Banco Central e pela CVM. Agora, será votado o único destaque à proposta, do PSOL. Depois, o texto seguirá para o Senado.<br /><br />O projeto substitui a medida provisória 784, que ficou conhecida como "MP da Leniência" e cujo prazo de validade expira amanhã. A aprovação do PL representa uma vitória para o Banco Central, que desde o início de junho, quando foi editada a MP 784, vem articulando com os vários setores do Congresso a aceitação da matéria.<br /><br />Polêmica, a proposta foi duramente criticada pelo Ministério Público Federal (MPF) assim que a MP saiu, em junho. O receio era de que ela prejudicasse os trabalhos da Operação Lava Jato, cujas investigações se aproximavam de instituições financeiras. O acordo de leniência com o BC, proposto na MP, era visto como um empecilho ao trabalho do MPF. <br /><br />Após meses de negociação, BC e MPF chegaram a um acordo. Foram efetuadas mudanças formais na proposta, para deixar claro que a nova lei recairia sobre os delitos administrativos - e não sobre os penais, da alçada do Ministério Público.<br /><br />O prazo para aprovação da MP no Congresso, no entanto, ficou curto, já que a validade do texto acaba nesta quinta-feira. Para manter a proposta em tramitação, BC e governo articularam a apresentação de um projeto de lei nesta semana, do deputado Pauderney Avelino (DEM-AM). O teor do PL é quase igual ao da MP.<br /><br />Foram efetuadas no PL, no entanto, mudanças para, de acordo com Pauderney, aperfeiçoar a proposta. Uma das mudanças, como informou ontem o <b>Broadcast</b>, é a que retirou o termo "acordo de leniência", que constava na MP. Ele foi substituído por "acordo administrativo em processo de supervisão". <br /><br />Toda a proposta de acordo de leniência com o BC foi mantida, mas a alteração do termo é vista como uma forma de deixar mais claro o escopo do acordo, que tratará apenas de delitos administrativos. Como a ideia de "leniência" está muito ligada à área penal, a mudança busca evitar confusões e críticas desnecessárias.<br /><br />Outra mudança trazida pelo PL foi a exclusão dos artigos que determinavam a criação de dois fundos: o Fundo de Desenvolvimento do Sistema Financeiro Nacional, ligado ao BC, e o Fundo de Desenvolvimento do Mercado de Valores Mobiliários, vinculado à CVM. Ambos seriam formados com recursos provenientes de multas e teriam como objetivo desenvolver os respectivos mercados. Com a exclusão, os recursos irão para o Orçamento da União e serão utilizados conforme determinação do governo.<br /><br />Uma mudança substancial trazida pelo PL foi a redução da multa a ser aplicada pela CVM. A MP previa penalidade de até R$ 500 milhões, que foi reduzida a um décimo disso no projeto de lei: R$ 50 milhões. Na Câmara, a informação é de que a medida foi iniciativa do presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que se empenhou pessoalmente na elaboração do novo projeto.<br /><br />Já os parâmetros das multas a serem aplicadas pelo BC foram mantidos no PL: a punição não poderá exceder R$ 2 bilhões ou 0,5% da receita de serviços e de produtos financeiros apurada no ano anterior da infração. Vale o maior valor. Atualmente, a multa máxima é de apenas R$ 250 mil.<br /><br />Durante os debates de hoje no plenário da Câmara, também foram feitas alterações em relação ao termo de compromisso que poderá ser firmado entre instituições financeiras e o BC.<br /><br />Pela nova redação, ficou mais claro que nos casos de delitos graves as instituições financeiras não poderão firmar termo de compromisso com o BC. As infrações graves são descritas no artigo 4º do PL. <br /><br />Além disso, no artigo 11, inciso III, foi indicado de forma mais clara que as instituições que firmarem acordo de leniência precisarão recolher, ao BC, uma contribuição pecuniária, que não se confunde com a multa a ser aplicada.</p> 2017-10-18T23:30:00-03:00 Esportes Atlético-MG volta a fazer feio em casa e perde para a Chapecoense no Brasileirão esportes/noticia/2425601/atletico-mg-volta-a-fazer-feio-em-casa-e-perde-para-a-chapecoense-no-brasileirao/ <p>O Atlético-MG mostrou mais uma vez por que é um dos piores mandantes do Campeonato Brasileiro e caiu para a Chapecoense nesta quarta-feira, por 3 a 2, no Independência. Em um jogo bastante movimentado, o time alvinegro voltou a sofrer com uma fraca atuação em casa, tentou reagir na raça ao ficar com um a menos - Elias foi expulso -, mas parou no competente desempenho do adversário.<br /><br />Mais uma vez sofrendo com a falta de criatividade e abusando das ligações diretas, o Atlético-MG sofreu a oitava derrota em 15 partidas em casa na competição. Já a Chapecoense foi muito precisa naquilo que se propôs a fazer, os contra-ataques, e respirou na luta contra o rebaixamento.<br /><br />O time catarinense chegou a 35 pontos, saltando para a 11.ª colocação. Pela 30.ª, no domingo, receberá o Fluminense na Arena Condá. Já o Atlético-MG parou nos 38 pontos e é o nono colocado. Também no domingo, tentará a recuperação no clássico com o Cruzeiro, no Mineirão.<br /><br />O JOGO - O Atlético-MG começou em baixa e viu a Chapecoense assustar com menos de um minuto, em chute de Luiz Antonio. Aos cinco, os visitantes quase abriram o placar em cruzamento da direita de Canteros, que Wellington Paulista cabeceou para exigir grande defesa de Victor. A bola ainda tocou no travessão.<br /><br />Mas em seu primeiro bom momento, o Atlético-MG marcou. Robinho recebeu longo lançamento e aproveitou erro crasso de Douglas para ajeitar para Valdivia. O meia chegou batendo de primeira de fora da área, com felicidade. A bola ainda tocou no travessão e entrou.<br /><br />O gol, porém, não retratava o cenário de um jogo em que o Atlético-MG dependia exclusivamente da ligação direta, fruto da inoperância de Valdivia e Cazares na armação. Imediatamente, então, a Chapecoense voltou a crescer. Aos 30, Arthur recebeu com espaço na intermediária e tocou para Wellington Paulista, que chegou batendo de canhota. Desta vez, Victor foi muito mal para a bola e colaborou para o empate.<br /><br />A igualdade dava a oportunidade aos visitantes de voltarem a jogar a seu estilo, nos contra-ataques. E num deles, a Chapecoense garantiu a vantagem para o intervalo. Aos 41 minutos, Moisés Ribeiro começou o contragolpe com dois lindos dribles no campo de defesa e abriu na direita para Luiz Antonio. O volante viu a penetração de Canteros e tocou para o argentino, que dominou e bateu cruzado, com estilo.<br /><br />A mais nova atuação ruim do Atlético-MG em casa rendeu vaias no intervalo, e logo no início da etapa final a situação ficou ainda pior. Em novo contragolpe catarinense aos quatro minutos, Moisés Ribeiro recebeu pela esquerda, pedalou para cima de Elias e foi calçado. O atleticano recebeu o segundo amarelo e foi expulso, deixando o estádio sob muitos xingamentos.<br /><br />Com um a mais, a Chapecoense foi inteligente. Ficou com a posse, administrou a vantagem e chegou a ameaçar alguns outros bons contra-ataques. E quando parecia ter o jogo controlado, sofreu o empate na bola parada aos 22 minutos. Fábio Santos cobrou escanteio da esquerda e encontrou Fred sozinho para cabecear no canto esquerdo de Jandrei.<br /><br />Era o que a equipe precisava para inflamar a torcida e crescer. Se não era criativa, ganhou uma dose de coragem para se lançar ao ataque cm o apoio de uma torcida que, agora, jogava a favor. Mas do outro lado, a Chapecoense seguiu em seu plano, ignorou o embalo adversário e voltou a ficar à frente. Aos 34, Reinaldo fez o que quis com Felipe Santana e tocou para Luiz Antonio fuzilar para a rede.<br /><br />O fator emocional, então, voltou a jogar contra o Atlético-MG. Na base do desespero, os donos da casa ainda levaram certo perigo em jogadas pelo alto, mas pararam na atuação consistente da Chapecoense. Ao apito final, mais vaias de uma torcida cansada de acumular decepções em casa.<br /><br /><br />FICHA TÉCNICA:<br /><br />ATLÉTICO-MG 2 X 3 CHAPECOENSE<br /><br />ATLÉTICO-MG - Victor; Marcos Rocha, Felipe Santana, Gabriel e Fábio Santos; Roger Bernardo (Otero), Elias, Cazares (Adilson) e Valdivia (Yago); Robinho e Fred. Técnico: Oswaldo de Oliveira.<br /><br />CHAPECOENSE - Jandrei; Apodi, Douglas (Douglas Grolli), Fabrício Bruno e Reinaldo; Amaral (Lucas Mineiro), Moisés Ribeiro (Elicarlos), Luiz Antonio e Canteros; Arthur e Wellington Paulista. Técnico: Emerson Cris (auxiliar).<br /><br />GOLS - Valdivia, aos oito, Wellington Paulista, aos 30, e Canteros, aos 41 minutos do primeiro tempo. Fred, aos 22, e Luiz Antonio, aos 34 minutos do segundo tempo.<br /><br />ÁRBITRO - Vinicius Gonçalves Dias Araujo (SP).<br /><br />CARTÕES AMARELOS - Roger Bernardo (Atlético-MG); Douglas, Moisés Ribeiro (Chapecoense).<br /><br />CARTÃO VERMELHO - Elias (Atlético-MG).<br /><br />RENDA - R$ 168.850,00.<br /><br />PÚBLICO - 11.927 torcedores.<br /><br />LOCAL - Arena Independência, em Belo Horizonte (MG).</p> 2017-10-18T22:59:00-03:00 Economia PL da Leniência: relator diz que deixará 'termo de compromisso' mais claro economia/noticia/2425592/pl-da-leniencia-relator-diz-que-deixara-termo-de-compromisso-mais-claro/ <p>O relator do projeto de lei nº 8.843, o PL da Leniência, deputado Alexandre Baldy (Pode-GO), apresentou um novo substitutivo ao seu relatório que altera alguns aspectos do termo de compromisso a ser firmado por instituições financeiras com o Banco Central.<br /><br />Pela nova redação, ficou mais claro que nos casos de delitos graves as instituições financeiras não poderão firmar termo de compromisso com o BC. As infrações graves são descritas no artigo 4º do PL. <br /><br />Além disso, no artigo 11, inciso III, será indicado de forma mais clara que as instituições que firmarem acordo de leniência precisarão recolher, ao BC, uma contribuição pecuniária, que não se confunde com a multa a ser aplicada. O Banco Central concordou com as alterações trazidas pelo novo substitutivo.<br /><br />Há pouco, o presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), convocou intervalo de cinco minutos para acordo de lideranças para votação.</p> 2017-10-18T22:45:00-03:00