A Justiça de Cruzeiro do Oeste (a 133 quilômetros de Maringá) determinou, em caráter liminar, a suspensão das atividades de um frigorífico no município devido à falta de licença ambiental e supostas irregularidades nos padrões de emissão de efluentes líquidos. A informação é do Ministério Público do Paraná (MP-PR), e foi divulgada na sexta-feira (9).

Em caso de descumprimento da decisão, a multa diária é de R$ 1 mil. A decisão foi proferida com base em ação civil pública proposta pela 3ª Promotoria de Justiça de Cruzeiro do Oeste.

Segundo a ação, em maio de 2012, o frigorífico foi autuado devido ao lançamento de efluentes líquidos oriundos do processo de abate de bovinos fora dos parâmetros estabelecidos pelo Instituto Ambiental do Paraná (IAP) no Córrego Guarani.

Em julho de 2013, o frigorífico foi novamente autuado por não possuir a licença de operação do IAP para desempenhar as suas atividades e promover o abate de bovinos. Nos dois casos, o frigorífico não tomou as medidas necessárias para sanar as irregularidades.

De acordo com a ação, danos causados pela empresa causam prejuízos ao meio ambiente e à qualidade de vida e saúde da população local. Conforme a decisão judicial, a paralisação das atividades da empresa é necessária, uma vez que "o dano ambiental poderá ser potencializado" e a restauração do rio poderá ser prejudicada.

Participe e comente