Empresas privadas, com interesse em atuar em conjunto com o Instituto Ambiental do Paraná (IAP) na gestão das Unidades de Conservação do Estado, têm até dia 23 de fevereiro para se cadastrar e solicitar a participação no Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI). O Chamamento é para a realização de estudos e projetos, devendo contemplar o conjunto de três Parques Estaduais: Vila Velha, em Ponta Grossa; Guartelá, em Tibagi e do Monge, na Lapa.

Podem participar do chamamento público qualquer empresa, individualmente ou em parceria com outras, que tenha expertise e conhecimento em gestão, serviços e elaboração de projetos na área. "As empresas vão apresentar projetos de gestão dessas três unidades, explorando o turismo de diversas maneiras, mantendo sempre a conservação desses ambientes", explica o Coordenador de Concessões e Parcerias do Governo do Estado, Elton Augusto dos Anjos.

"A Comissão formada pelo IAP, Secretaria de Meio Ambiente, Secretaria do Planejamento e o Conselho Gestor de Concessões da Casa Civil vai avaliar os projetos e licitar o que melhor se encaixar com as condições e as exigências para cada uma das Unidades de Conservação",

PARQUES DO PARANÁ - O Edital de Chamamento do Procedimento de Manifestação de Interesse nº 01/2016 (CGC) foi publicado em 23 de dezembro de 2016 e faz parte do Projeto Parques do Paraná. "Seu objetivo é obter estudos e projetos que subsidiem decisões para futura concessão destas áreas a parceiros privados, aumentando a eficiência das atividades, oferecendo mais qualidade dos serviços à população e de incentivos a responsabilidade fiscal", conta Sueli Ota, coordenadora de Biodiversidade e Florestas da Secretaria de Estado de Meio Ambiente.

Dessa forma, o Governo do Estado espera contribuir com a conservação da biodiversidade e a promoção turística desses locais. "A gente só preserva aquilo que a gente conhece. Por isso, é importante trazer parceiros para nossas Unidades de Conservação de maneira que a gente consiga chamar as pessoas para participarem da preservação desses locais tão belos", afirmou o presidente do Instituto Ambiental do Paraná (IAP), Luiz Tarcísio Mossato Pinto.

NOVOS MODELOS - Com o chamamento, o Estado do Paraná espera receber estudos sobre a implementação de novos modelos de gestão, que maximizem a conservação, o conhecimento científico e desenvolvimento da economia para as comunidades da região em que os três parques estão inseridos. "A ideia é que os projetos contribuam com o IAP no trabalho para conservação dessas áreas, mas também insira a sociedade nelas, promovendo o lazer e o turismo responsável, gerando novos empregos no seu entorno", esclarece o diretor de Biodiversidade e Áreas Protegidas do IAP, Guilherme Vaconcellos.

PARTICIPAÇÃO - Para participar, as empresas interessadas devem solicitar ao Conselho Gestor de Concessões da Casa Civil uma autorização para realizar os projetos que devem contemplar as Unidades de Conservação. Os projetos terão prazo de 120 dias para serem realizados.

Os interessados podem obter mais informações sobre o PMI e sobre as Unidades de Conservação no site www.pmiparques.pr.gov.br

PARQUES DO PARANÁ - o projeto Parques do Paraná abrange outras Unidades de Conservação além das três que fazem parte do PMI. Participam os Parques Estaduais da Ilha do Mel, em Paranaguá; Pico Marumbi, em Morretes; Serra da Baitaca, na Região Metropolitana de Curitiba; Cerrado, em Jaguariaíva; Rio da Onça, em Matinhos; Mata dos Godoy, em Londrina; Campinhos, em Tunas do Paraná; Amaporã, em Amaporã; Lago Azul, em Campo Mourão, e São Camilo, em Toledo.

O Parques do Paraná envolve várias áreas do Governo e conta com apoio do Instituto Semeia.

Participe e comente