A Secretaria de Estado da Justiça, Trabalho e Direitos Humanos reforça a necessidade de cuidados especiais para prevenir o crime de tráfico humano durante o Carnaval.

O número de vítimas em todo o mundo chega a superar 2,5 milhões por ano e movimenta US$ 32 bilhões. Segundo informações da Organização das Nações Unidas (ONU), 86% desse volume provém da exploração sexual de mulheres e meninas, e que 58% das aliciadoras são do sexo feminino. "Esse tipo de crime é propiciado por propostas fáceis e enganosas de trabalho e fica mais comum durante o Carnaval, época em que existe uma maior circulação de pessoas", diz o secretário estadual da Justiça, Artagão Júnior. Segundo ele, é preciso que a população fique atenta, pois o tráfico humano está presente em todos os lugares e faz parte do cotidiano, e está mais perto do que se pensa. Denúncia poderá ser feita de forma anônima pelos telefones 100, 181 e 180.


Participe e comente