A governadora Cida Borghetti recebeu nesta quinta-feira no Palácio Iguaçu, integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e ressaltou que o governo sempre buscará o diálogo para resolver questões que envolvem os cidadãos paranaenses e ampliem a convivência pacífica em todo o Estado.

"Uma parceria franca e aberta com apenas o propósito de ajudar as pessoas. Que esta agenda seja a primeira de muitas para avançar e estreitar ainda mais o diálogo permanente com o movimento", afirmou Cida. "Vamos avançar porque todos estamos do mesmo lado. Este é um governo humanista que prioriza as pessoas", enfatizou.

Foram temas do encontro educação, cultura, saúde, desenvolvimento e produção nas áreas de reforma agrária, em todo o Paraná. "As demandas serão discutidas para avançar e trazer boas soluções para todos. Realmente, paz no campo é o que interessa para nós. Queremos um Estado ordeiro, com paz, harmonia e avançando nas políticas públicas", afirmou Cida.

Sensibilidade

Roberto Baggio, membro da Coordenação do MST, elogiou o empenho do Governo do Estado em buscar uma boa pareceria. "Sentimos na governadora muita sensibilidade e compreensão, uma surpresa positiva. O que vem se construindo no Paraná desde os anos 80, nos últimos sete anos e agora são processos que ajudam a e resolver os problemas. Acho que podemos ter bons resultados neste próximo período", ressaltou.

"No Paraná a reforma agrária produz comida, gera alimentos, organiza a agroindústria, educa as crianças, gera comunidades, contribui com o INSS, ou seja, é um processo de solução de problemas", afirmou Roberto Baggio.

Atualmente existem 323 assentamentos, em 160 municípios do Paraná, que reúnem 10 mil famílias de agricultores em várias regiões do Estado.


NO IGUAÇU. Cida Borgheti ouviu reivindicações dos trabalhadores sem terra em audiência nesta quinta-feira. — ARNALDO ALVES/ANPR


Participe e comente