A Polícia Civil deflagrou na manhã de hoje, 8, uma operação para apurar supostos desvios de recursos do Hospital Evangélico de Londrina, que somam R$ 1,29 milhão e teriam sido praticados entre 2015 e 2018. As investigações começaram após a direção do hospital comunicar o fato, identificado em auditoria interna.

Uma equipe policial cumpriu mandado de busca e apreensão na casa de uma ex-funcionária, que ocupou cargo no setor financeiro do hospital, demitida há meses. Também foram à empresa que pertenceria à sua família, onde apreenderam veículos e documentos. A polícia ainda conseguiu judicialmente o bloqueio de contas bancárias da suspeita e de pessoas próximas.

Em nota, a direção do Hospital Evangélico de Londrina informou que, a partir da identificação do problema, "tomou todas as medidas administrativas e jurídicas cabíveis, inclusive representação criminal, requerendo a completa investigação dos fatos".

Destacou que o fato se tratou de um problema pontual e isolado, e que a instituição preza pela ética, integridade e transparência. "Há dois anos o Hospital passou a adotar o modelo de governança corporativa com práticas de compliance, como implantação do código de conduta e órgãos de controle, favorecendo a conformidade dos processos, a prevenção, identificação e combate a fraudes e a condutas inadequadas".

As investigações estão sendo conduzidas pelo delegado-chefe da 10ª Subdivisão Policial de Londrina, Osmir Ferreira Neves.

 

A partir da identificação do problema, a direção do hospital tomou todas as medidas administrativas e jurídicas cabíveis, inclusive representação criminal requerendo a completa investigação dos fatos. Importante esclarecer também que o fato se tratou de um problema pontual e isolado, bem como ressalta-se que a instituição preza pela ética, integridade e transparência. Há dois anos o Hospital passou a adotar o modelo de governança corporativa com práticas de compliance, como implantação do código de conduta e órgãos de controle, favorecendo a conformidade dos processos, a prevenção, identificação e combate a fraudes e a condutas inadequadas".


Participe e comente