Uma menina pobre e da favela, que por conta de tanta energia e mal criação foi levada pela mãe a uma Associação de bairro. A mãe estava em busca de um esporte para a filha descarregar sua agitação. Não tinha futebol, seu esporte preferido. Sobrou o judô e ela ficou. Tinha 5 anos de idade e já sofria bullyng e racismo. Aprendeu a focar no que queria, foi construindo sua história. Golpe a golpe. Aprendizado por aprendizado. Dizem que no judô aprender a cair é o primeiro passo para um bom jogador. Ela aprendeu. Caiu lá em 2012, num golpe equivocado que a fez sofrer na pele todo tipo de humilhação.

Leia a matéria completa no portal Plano Feminino.

Participe e comente