Nascer sem privilégios, numa sociedade machista e num país que lidera o ranking de descaso com as meninas, com certeza é nascer para travar batalhas. Nascer para lutar. Lutar contra o preconceito de uma sociedade que prefere levantar muros e blindar carros, ao invés de se mobilizar para transformar a situação do país. Lutar contra a falta de recursos, de educação, de saúde, de tudo o que te impede de ocupar um espaço que deveria ser seu por direito.

maioria das meninas de nosso país está em situação de descaso, de abandono, de violência, de medo. Medo de ter nascido aonde nasceram – fora dos condomínios de luxo e das famílias tradicionais com brasão.

Continue lendo no Plano Feminino.


Receba todos os dias no seu e-mail as principais notícias de Maringá e região
Só um envio por dia. Cancele quando quiser

Participe e comente