Na noite de segunda-feira, uma quadrilha fortemente armada explodiu um carro-forte que trafegava pela BR-277, em Morretes. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), os ladrões bloquearam a pista e renderam os seguranças, levando mais de R$ 10 mil em dinheiro. Duas pessoas que estavam saqueando o que restou da carga foram detidas.

A ação foi relatada pelos seguranças à PRF. Segundo o policial Anderson Mendes, o assalto começou por volta das 20h, quando quatro homens portando uma metralhadora e três fuzis bloquearam a passagem do carro-forte. Eles renderam os seguranças que fazem o transporte dos valores e explodiram o veículo, fugindo em seguida com R$ 10.460 em dinheiro e R$ 15.700 em cheques.

Conforme Mendes, uma pessoa que passava pela rodovia no momento em que os assaltantes atiravam contra o veículo se feriu, mas não foi atingida diretamente por nenhum dos disparos. A informação de que um dos vigilantes teria morrido na troca de tiros também foi negada pela PRF.

Divulgação/ Polícia Militar/ Soldado Adilson Afonso
Quadrilha explodiu veículo da Proforte e levou mais de R$ 10 mil em dinheiro

Segundo a Polícia Militar, duas pessoas foram presas, mas, a princípio, não eram membros da quadrilha. “Duas pessoas foram flagradas pela nossa equipe ROTAM no local coletando o dinheiro que estava na rodovia espalhado após a explosão do carro-forte. A princípio, a dupla passava pelo local quando visualizou o dinheiro e foi pegá-lo. Ambos os envolvidos serão conduzidos pela PRF à delegacia, mas a princípio não estariam diretamente ligados ao roubo. No entanto, será investigado”, relata o Comandante do 17º Batalhão de Polícia Militar, tenente-coronel William Kuczynski. A equipe policial também localizou os quatro seguranças na entrada do mato, cerca de 50 ou 60 metros do local do crime, onde teriam sido deixados pelos marginais antes da explosão.

O trânsito no local foi bloqueado por cerca de duas horas, para que a perícia pudesse levantar informações que ajudem a descobrir com precisão o que aconteceu. O veículo foi levado posteriormente para o pátio da PRF.

Cuidado

De acordo com a Polícia Rodoviária, a estrada na qual o assalto aconteceu é utilizada por quem vai ao litoral paranaense e é cercada por mata fechada. “É uma área no meio da serra e que acaba sendo muito usada para assaltos, porque se alguém fica no alto, consegue ver quando a polícia está chegando. Então é preciso tomar cuidado”, diz Mendes.

Receba todos os dias no seu e-mail as principais notícias de Maringá e região
Só um envio por dia. Cancele quando quiser

Participe e comente