Uma equipe da Polícia Ambiental de Londrina prendeu um homem na sexta-feira (14), por suspeita de comércio de animais silvestres – prática ilegal. No local em que estaria sendo feita a venda, foram encontrados vários tipos de animais vivos e também dois macacos-prego mortos.

A Polícia Ambiental descobriu o local por meio de denúncias anônimas e, ao conversar com o dono, ele disse que tinha apenas um filhote de arara Canindé, cega de nascença. Em buscas no local, a equipe encontrou sete filhotes de jabuti, quatro iguanas, dois macacos-pregos vivos e outros dois mortos.

O dono, que não teve o nome divulgado pela polícia, disse que os animais mortos pertenciam a um homem conhecido como “Cólera” e que uma terceira pessoa apareceria no local para empalhá-los. A arara também teria sido doação de Cólera, por causa da cegueira da ave. Este não foi localizado pela polícia.

Conforme a Polícia Ambiental, o suspeito alegou que havia adquirido no dia anterior apenas os filhotes de Jabuti e que os outros animais estavam em posse dele há aproximadamente cinco meses.

“Como o cidadão ora abordado não possui autorização de órgão competente para estar em posse dos animais, efetuamos a apreensão dos animais silvestres e conduzimos o Senhor homem para os procedimentos cabíveis na sede da Polícia Ambiental Força Verde na cidade”, explica a relações públicas da companhia de polícia ambiental de Londrina, Camila Reina.

Reincidência

No dia 28 de janeiro deste ano, o mesmo suspeito havia sido abordado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), entre Ibiporã e Jataizinho, e foi flagrado transportando cinco filhotes de macacos-prego.

 

Divulgação/ Polícia Ambiental
Suspeito já havia sido detido uma vez, transportando outros cinco macacos-prego

 

Participe e comente