Presos da Cađeia Pública de Umuarama, sob forte esquema de segurança que envolveu o Serviço de Operações Especiais (SOE), agentes do Departamento Penitenciário do Estado do Paraná (Depen), policiais civis e militares da Rotam (Rondas Ostensivas Táticas Metropolitanas), foram levados, nesta sexta-feira (16), para realizar exames que detectam a tuberculose.

Todos os 227 presos (24 mulheres) foram escoltados para realização de Raio-X devido à suspeita de tuberculose. Os exames foram feitos no  Consórcio Intermunicipal de Saúde (Cisa).

A cadeia de Umuarama que tem capacidade para cerca de 74 presos, tem atualmente 227, e um histórico de contaminação de detentos por tubeeculose. A doença  infectocontagiosa e causada por bactéria com transmissão que ocorre de forma direta, de pessoa para pessoa, através de saliva – durante a fala, espirros e tosse. O ambiente carcerário também favorece. Apesar de não existir confirmação, os exames em todos os presos é uma exigência do Ministério da Saúde em razão da gravidade da doença.

As medidas de segurança e as armas de grosso calibre empregadas pelos agentes, como fuzis, foram necessárias por conta da periculosidade de muitos presos e para se evitar fugas ou tentativas de arrebatamento.

Foto: Divulgação

Participe e comente