Natália Miranda da Silva, mãe de Jean Eduardo da Silva, de 3 anos, que morreu na última segunda-feira (8) em decorrência de uma pneumonia, registrou, nessa quarta (10), um boletim de ocorrência na delegacia de Sarandi, denunciando negligência por parte da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Gustavo Farias.

Conforme o boletim de ocorrência, o pequeno começou a reclamar de dores na sexta (6) e a mãe, Natália Miranda da Silva, o levou para a UPA. No local, ele passou por consulta e foi liberado.

No dia seguinte, Jean ainda estava se sentindo mal e a mãe o levou novamente à UPA. Para a Polícia Civil (PC), a mãe relatou que houve demora no atendimento. O pequeno foi consultado novamente, medicado e ficou em observação.

Somente na segunda-feira (8), conforme o boletim de ocorrência, foi constatado que o estado de saúde da criança era grave e, ao examinar o Raio-X, foi percebido o quadro de pneumonia e encaminharam a criança para o Hospital Metropolitano.

Por volta das 12h, Jean foi internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital e, perto de 19h50, entrou em óbito.

O vereador de Sarandi Cido Polícia (PSD) está acompanhando o caso. "Quando soube, procurei a mãe e a encaminhei para a delegacia. O delegado a ouviu e instaurou um inquérito para verificar se houve negligência ou não", disse.

O vereador acredita que houve erro por parte da UPA. "Tem todos os indícios de que foi negligência. Ela [mãe] foi no sábado [na UPA] e falaram que o menino estava com verme. Sem fazer exame, mandaram de volta pra casa. O caso se agravou e ela levou a criança de novo. A mãe cobrou até que fizeram raio-X e viram que era pneumonia muito avançada", afirma.

Em nota, a Prefeitura de Sarandi disse que o paciente deu entrada na UPA com dores abdominais e dificuldades respiratórias e que a criança foi imediatamente atendida, avaliada e levada para o setor de urgência, sendo depois encaminhada para a UTI do Hospital Metropolitano, "onde o caso acabou se agravando".

"O atendimento foi realizado e todos os procedimentos médicos foram feitos como coleta de exames laboratoriais e medicação", conclui a nota, dizendo que a direção da UPA lamenta o ocorrido.


Participe e comente