A Delegacia de Homicídios de Maringá apresentou os quatro suspeitos de envolvimento no homicídio de Guilherme da Silva Deodato, 22 anos, morto a tiros no dia 17 de fevereiro no Jardim São Silvestre. No dia do crime, duas crianças que estavam brincando dentro de uma casa foram baleadas. Um dos garotos feridos foi Diego de Brito Avila, 11, que perdeu o movimento das pernas.

Policiais da DH deram início a uma investigação minuciosa. Com a ajuda de imagens de câmeras de estabelecimentos comerciais, os primeiros suspeitos foram identificados. O primeiro a ser detido dias depois do crime foi Dione Jorge dos Santos, 32, vulgo "Shrek", morador de Sarandi.

Na sequência, a DH prendeu Jhenisson Monteiro dos Santos, 21, também de Sarandi.

Os dois negaram envolvimento nos crimes. Outras diligências foram feitas para identificar mais dois suspeitos. Os policiais descobriram que Mateus Nei de Souza, 19, seria o motorista do Fiat Uno Mille usado no dia do assassinato. Por último, a polícia levantou na investigação que um adolescente de 17 anos, morador de Sarandi, teria atraído a vítima.

Uma pistola calibre 9mm foi apreendida pela Polícia Civil durante a investigação. Na terça-feira (27), o advogado Arthur Júnior da Silva, levou outra pistola calibre 9mm usada no crime. O advogado apresentou Souza e o adolescente de 17 anos.

Segundo o delegado Diego Almeida, titular da DH, Santos teria ido dias antes do crime na casa de Guilherme fazer ameaças, mas ele nega. Os suspeitos devem responder por homicídio qualificado consumado, dois homicídios qualificados tentados e fraude processual.

Participe e comente