O caso do desaparecimento do farmacêutico Carlos Henrique Hortêncio, 54, estava sendo investigado pela Polícia Civil desde o dia 11 deste mês, dia em que a família denunciou o desaparecimento.

Na tarde de sábado (19) a equipe recebeu informações sobre possíveis suspeitos envolvidos no desaparecimento da vítima, na cidade de Moreira Sales (a 153 km de Maringá). O deslocamento até o local gerou a prisão de Sandro Marcelo Lehn Júnior, 23. O suspeito estava hospedado em um hotel da cidade. No local a polícia encontrou em posse de Sandro, o celular, notebook e o documento da Pajero do farmacêutico.

Preso em flagrante, Sandro confessou os nomes de dois comparsas e onde eles estariam. Em Maringá, a equipe policial foi até o Jardim Universo para efetuar a prisão de Luiz Fernando Prestes da Silva, 20. O terceiro envolvido ainda está foragido.

A dupla já presa, confessaram todo o crime e levaram os policiais até o local onde enterraram a vítima. Sandro era amigo do farmacêutico e confessou ter armado uma emboscada para ele. Combinou de pegar carona com a vítima para um evento, no meio do trajeto o trio anunciou o assalto e rendeu Carlos com uma faca. A vítima foi amarrada e colocada no porta-malas. O trio dirigiu ate uma estrada rural onde assassinaram Carlos a facadas e mantiveram o corpo no porta-malas. Retornaram até a casa do farmacêutico e o enterraram no quintal.

Os réus contam que atuaram assim para roubar a caminhonete Pajero do farmacêutico em troca de 50 gramas de cocaína. A negociação do carro pela droga foi feita em Cruzeiro do Oeste.

Por estar com o celular da vítima, Sandro ainda trocou mensagens com familiares da vítima, se passando por Carlos. Mas os parentes desconfiaram quando “Carlos” não respondia as mensagens com áudio, quando solicitado. Foi quando denunciaram a polícia a desconfiança.

A dupla está em prisão preventiva enquanto a polícia procura o terceiro envolvido. O trio deve ser acusado de latrocínio e ocultação de cadáver, a pena pode chegar aos 33 anos de prisão.



Participe e comente