José Carlos Oliveira, 58 anos, professor de matemática, se entregou por volta das 14h30 de ontem (10), na Delegacia de Trânsito de Maringá, e prestou esclarecimentos sobre um acidente ocorrido na noite deste domingo (8), na rodovia PR-323, que liga Maringá a Paiçandu, onde acabou com uma vítima fatal. Acompanhado de dois advogados, o motorista confessou que dirigia um Hyundai HB20, prata, e derrubou uma motocicleta Honda Titan azul.

O piloto da moto, Rodrigo Luiz de Souza, 25 anos, continua internado em estado grave. Já a técnica de enfermagem Marilucia Correia, 43 anos, que estava na garupa, morreu no local. Logo após o acidente, Oliveira se evadiu do local sem prestar socorro, o que se configura como crime.

Minutos depois de chegar em sua residência, dois policiais militares de Paiçandu conseguiram localizar o suspeito.

O veículo estava na garagem, com danos na lataria e no vidro.

Questionado, ele relatou que tinha se envolvido em um acidente em Maringá, mas não se recordava do nome da via. Os policiais foram embora, e ao retornarem a residência, não mais o encontrou. Passados dois dias, o professor contratou advogado e pediu para se apresentar a policial para esclarecer os fatos.

Em seu depoimento na Delegacia de Trânsito, José Carlos contou que estava na casa de sua filha, em Maringá, e ao retornar para Paiçandu, sentiu algo bater em seu automóvel. Ele comentou que seria uma espécie de tronco.

O condutor do HB20 também relatou que a rodovia estava bem escura e, por isso, não percebeu que poderia ser uma motocicleta.

O delegado Rodolfo Vieira disse que uma testemunha presenciou o HB20 arrastando a moto por vários metros. O motorista foi liberado depois de ser ouvido.

O delegado deverá ouvir dois policiais militares que estiveram na casa do professor. O acusado foi indiciado por homicídio culposo – quando não há intenção de matar – praticado com veículo automotor, com possível aumento de pena por ter fugido do local. Se o piloto da moto quiser representar contra o motorista, ele poderá responder criminalmente por lesão corporal contra motociclista.

Os advogados disseram que o motorista está colaborando com a polícia para esclarecer da melhor forma.

Participe e comente