• Polícia detém suspeito de estuprar e matar Beatriz

  • Rosângela Gris e Roberto Silva

Um homem de 44 anos foi detido no início da tarde desta terça-feira (19) suspeito de ser o maníaco que raptou, estuprou e matou a menina Beatriz Silva Pacheco Gonçalves, de 10 anos. O detido se apresentou na Delegacia de Sarandi, região metropolitana de Maringá, após ser denunciado à Polícia Civil pela enteada de 24 anos.

Em contato com a polícia, a jovem relatou que o padrasto chegou em sua casa no Jardim Gralha Azul, em Sarandi, na segunda-feira (18), por volta das 11h30, com as roupas sujas, sinais de embriaguez e marcas de arranhões nos braços e nas costas. Segundo ela, demonstrando nervosismo, o detido teria confidenciado que havia feito algo 'muito grave'.

Depois de acompanhar o noticiário sobre a morte de Beatriz na imprensa local, a enteada telefonou para a polícia e relatou as suas suspeitas sobre o possível envolvimento do padrasto no crime, uma vez que a descrição física do autor do crime coincide com a do suspeito.

Os policiais chegaram a ir até a casa do suspeito - no limite entre os municípios de Maringá e Sarandi - após a denúncia, porém ele não foi encontrado. O homem foi informado da 'visita' dos investigadores pela mãe, com quem mora, e decidiu procurar espontâneamente à polícia no início da tarde de hoje.

Em conversas informais na delegacia, o suspeito entrou em contradição em vários momentos. Em uma das versões apresentadas ele teria confirmado a ida até Sarandi no domingo. Ele, no entanto, teria alegado que passou a tarde bebendo em um bar da cidade e por isso não se lembra do que fez antes de chegar em casa.

Por questões de segurança, o homem foi transferido da delegacia para um local cujo endereço não foi revelado pela Polícia Civil. A expectativa era que o primo de Beatriz, principal testemunha do crime, fizesse o reconhecimento do suspeito.

Uma equipe de policiais voltou à casa do suspeito e recolheu as roupas do detido. A bicicleta com a qual, segundo a enteada, ele teria ido até a sua casa não foi localizada.

Descartado

O homem que compareceu ao velório e carregou o caixão de Beatriz até o túmulo causando estranheza entre os familiares da menina foi identificado como um parente distante da famíla. Ele foi reconhecido por um parente através de uma fotografia e deixou a lista de suspeitos da polícia.

O portal odiario.com reserva-se o direito de não publicar comentários de conteúdo difamatório, calunioso e ofensivo. Os comentários não autorizados ficarão visíveis somente para os contatos/amigos da rede social do autor.


Blogs e Colunas

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Shopping

Anuncie nos classificados de O Diário

Pague com:

Loterias

  • Números sorteados
  • 4
  • 17
  • 38
  • 9
  • 18
  • 21

Publicidade

Aviso importante: A reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo (textos, imagens, infográficos, arquivos em flash, etc) do portal odiario.com não é permitida e, caso se configure, poderá ser objeto de denúncia tanto nos mecanismos de busca quanto na esfera judicial. Se você possui um blog ou site e deseja estabelecer uma parceria com odiario.com para reproduzir nosso conteúdo, entre em contato pelo e-mail parceria@odiario.com.

odiario.com 2010 © Todos os direitos reservados à Editora Central Ltda - O Diário do Norte do Paraná. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuido sem prévia autorização.