Imagine valorizar seu investimento em 700% em menos de três anos. Então reflita sobre a possibilidade de esse ganho acontecer na Bolsa de valores. Parece ficção, loteria ou alguém querendo vender a fórmula mágica? A verdade é que atingir rentabilidades fantásticas em um universo tão disputado como o do mercado financeiro exige estudo, dedicação e muita disciplina. E isso aconteceu. Uma ação recomendada pela equipe da Empiricus Research atingiu essa rentabilidade em maio deste ano.

Trabalhando há mais de uma década como gestor e analista do mercado financeiro, Max Bohm, que integra o time estrelado da Empiricus, foi o responsável por identificar este diamante ainda bruto em julho de 2014. “Era um dos papéis mais baratos da Bolsa. Identificamos a possibilidade de ganhos bem acima da média. Era o papel de uma empresa com receitas estáveis e resultados em curva ascendente”, diz o responsável pelos relatórios Microcap Alert e MAXincome®.

Ele conta que, na época da recomendação, a ação valia R$ 1,54. “A valorização vinha batendo recorde sobre recorde até atingir R$ 12,32, em maio de 2017. Após os abalos que movimentaram o mercado financeiro no dia 18, elas caíram um pouco, mas continuam valorizadas. Quem investiu nestas ações na época de nossa indicação continua ganhando muito dinheiro”.

Bohm destaca que é fundamental entender o cenário como um todo para ter sucesso nos investimentos em Renda Variável. “Aplicar na Bolsa é arriscado. O lucro passado não é garantia de lucro futuro. Valorizações como essa são espetaculares, fora do padrão. Porém, uma estratégia bem estruturada pode sim garantir bons retornos”.

Outra questão considerada primordial pelo analista é entender a saúde financeira da empresa. “Comprar uma ação é o mesmo que passar a ter um pedaço de uma companhia. Dessa forma, o contexto no qual ela está inserida, as tomadas de rumo definidas por seus gestores e os resultados econômico-financeiros apresentados oferecem subsídios para que seja possível formar uma equação e definir se aquele é um papel no qual deve-se investir ou não”, explica.

Neste caso específico, a ação mencionada é a CSU CardSystem (CARD3), maior processadora e administradora de meios eletrônicos de pagamentos da América Latina. Ela faz toda a inteligência do processo de compra: verifica fraudes, emite faturas, confere limites etc. Bohm enumera que “é uma companhia que oferece serviços diretamente para outras empresas num mercado que cresce progressivamente. Isso significa ter receitas estáveis, que só variam quando um grande contrato é iniciado ou finalizado. Ela é administrada de forma responsável e não possui dívidas”.

Sobre a possibilidade de rentabilidades como essa voltarem a se repetir, ele é enfático. “Sempre é possível, porém, nosso principal objetivo é procurar orientar nossos clientes sobre boas oportunidades. Sabíamos que ali morava uma delas, mas ninguém tem bola de cristal para saber exatamente os limites das flutuações. Nossas análises são baseadas em dados, e nós trabalhamos com o pé no chão. Não se trata de prever o futuro”, diz.

Participe e comente