O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse nesta quinta-feira, 7, que é preciso aguardar qual decisão sairá do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre as medidas cautelares sugeridas pela Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o deputado Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA), irmão do ex-ministro preso Geddel Vieira Lima. "Preciso receber a decisão para ver qual decisão a Câmara precisa tomar ou não", desconversou.

Ele, no entanto, lembrou que a eventual cautelar deferida pelo STF precisa de autorização do Parlamento. "Se a cautelar estiver interferindo no exercício do mandato, na Casa ou no Estado do parlamentar, tem interferência no mandato, aí a gente tem que decidir. Se não, não", completou.

Nesta quinta, PSOL e Rede entraram com uma representação contra Vieira Lima no Conselho de Ética pedindo a cassação do mandato. O peemedebista, que não aparecia no plenário desde o dia 27 de novembro, foi visto hoje no cafezinho da Casa. O deputado chegou a se emocionar, mas não quis comentar a representação por quebra de decoro parlamentar.

O deputado foi denunciado pela PGR por crimes de lavagem de dinheiro e associação criminosa junto com seu irmão, Geddel. Ao pedir o recolhimento noturno do deputado, a PGR requereu também monitoramento eletrônico.


Participe e comente