Em anúncio na segunda-feira (18), a Organização Mundial da Saúde (OMS) apresentou o CID, que é a Classificação internacional de Doenças e Problemas Relacionadas à Saúde. A novidade desta lista foi a inclusão oficial do vício em videogame, nomeado como gamiling disorder. Traduzido para o português fica “desordem de games”, no caso o que foi avaliado para chegar ao nome da doença tem relação com o comportamento.

De acordo com a OMS quem é viciado em games desenvolve um comportamento padrão. As ações recorrentes e semelhantes, que resultaram em um padrão de comportamento, ocasionou no entendimento médico que o vício em videogame deve ser classificado como doença de âmbito mundial.

A CID apresentada na reunião de segunda, já vale para os países começarem sua atualização.

Isso pode preocupar bastante os pais, mas o diagnóstico da OMS não agradou a todos. O tema está em discussão e tem divido opiniões. Empresas de videogames se pronunciaram contra a OMS, como a Entertainment Software Association (ESA), União Brasileira dos VideoGames, a Interactive Entertainment South África e a Korea Association of Game Industry (K-GAMES). Todos publicaram notas no twitter contra a fala dos médicos.

A ESA publicou sua conta no Twitter a seguinte nota, “Especialistas em todo o mundo mostram preocupação sobre a proposta da Organização Mundial da Saúde de um vício que pode levar a um diagnóstico equivocado sobre condições de saúde mental”

Mesmo com tantos contra, a OMS não mudou de ideia, a CID permanece e os países devem atualizar sua lista de doenças.

Fonte: Canaltech


Participe e comente