O inverno inicia no próximo dia 21 de junho, mesma data do Dia Nacional de Combate à Asma. Quem sofre com a doença deve redobrar o cuidado para evitar resfriados e outras infecções virais. Segundo levantamento do Departamento de Informática do SUS (DataSus), a asma atinge de 10% a 25% da população brasileira, além de causar mais de 2 mil óbitos por ano.

Neste cenário, o Seconci (Serviço Social da Construção) de São Paulo, aproveita a ocasião para alertar sobre a doença. Dois especialistas falam sobre a importância do controle e tratamento da asma. "Trata-se de uma enfermidade crônica muito comum, de natureza inflamatória com influência genética. Além disso, sofre influência de fatores ambientais, como por exemplo, poeira domiciliar, fungos, mofo, poluição, fumaça de cigarro e ar frio, que provocam a reação inflamatória nas vias respiratórias", explica a pneumologista da entidade, Marice Ashidani.

Os sintomas surgem após a exposição ao frio, fumaça, poeira, fungos e fortes odores, sendo mais frequente à noite, devido à queda de temperatura. "As manifestações mais frequentes são a falta de ar, tosse e chiado no peito que podem surgir de forma inesperada e em qualquer idade", comenta Horácio Cardoso Salles, gerente de Medicina Ambulatorial do Seconci-SP.

O diagnóstico acontece através da avaliação de sintomas e exames como raio-x de tórax e espirometria, disponíveis no Seconci-SP. "O tratamento pode ser para amenizar os sintomas com os broncodilatadores, ou preventivo, que se vale do uso contínuo de medicamentos. A mudança no estilo de vida também faz parte: evite carpetes em casa e não durma ao lado de animais de estimação", diz Marice.

Apesar de não ter cura, a asma pode ser controlada, por isso o objetivo do tratamento está em manter o quadro estável, para que o asmático realize normalmente suas atividades cotidianas e as crises se tornem cada vez mais distantes uma da outra. "O apoio da família tem papel fundamental, uma vez que a adesão e a compreensão do paciente são um dos principais desafios do tratamento. Os remédios de prevenção devem ser tomados mesmo nas épocas em que as crises não se manifestam", enfatiza Salles. Vale ressaltar que, quando mal cuidada, a asma pode evoluir para um quadro com perda funcional da parte respiratória ou até levar a óbito.

Os colaboradores da construção civil, que lidam com o problema, devem usar os equipamentos de proteção individual adequados para preservá-los da poeira presente nas obras e manter o acompanhamento médico regularmente. "Com disciplina e cuidados é possível levar uma vida normal", finaliza a pneumologista Marice Ashidani. ///MaxPress


Participe e comente