A obsessão por utilitários-esportivos não é privilégio do Brasil Para executivos da Volvo, marca que no Salão de Genebra apresenta a nova geração do XC60, trata-se de um fenômeno mundial. E, mercado a mercado, aos poucos esses modelos vão engolindo os demais segmentos.

O novo XC60 chegará ao Brasil no segundo semestre - provavelmente a partir de agosto. Há quatro versões: T5, T6, T8 (híbrida) e D5 (a diesel). A marca não revelou quais serão vendidas no País, mas o carro, que traz novas tecnologias de direção semiautônoma, terá preço médio em torno dos R$ 240 mil.

O carro ganhou mudanças significativas no visual e sob a carroceria há nova plataforma modular. As versões T5 e T6 a gasolina contam com 254 cv e 320 cv, respectivamente. A T8 híbrida, de topo, tem 407 cv no total.

De porte semelhante ao sueco, mas com apelo visual mais evidente, o Range Rover Velar é o destaque da Land Rover. O modelo estreia no Brasil no fim do ano posicionado entre o Evoque e o Discovery Sport.

Desenvolvido sobre a mesma plataforma do Jaguar F-Pace, o utilitário será posicionado entre o Evoque e o Range Rover Sport na gama da Land Rover. As opções de motor são: 2.0 turbodiesel de 180 cv e 2.0 turbo a gasolina de 250 cv. A versão de topo trará um V6 3.0 Supercharged de 380 cv.

Das peruas, somente a Panamera Sport Turismo está confirmada para o Brasil. Ao menos por ora, as novas gerações do BMW Série 5 Touring, da Mercedes-Benz E 63 AMG Estate e da Hyundai i30 CW não devem ser vistas nas ruas do País.

Dos carros com preparação esportiva de fábrica, os novos Audi RS3 e RS5 chegarão no fim do ano.

Mas uma das melhores novidades poderá ser o Civic Type-R, que estreia em Genebra em versão final. A Honda estuda vender o carro no mercado brasileiro.

Por fim, os brasileiros também deverão contar em breve com o Arteon. Trata-se do cupê sucessor do Volkswagen CC.

Participe e comente