A sétima geração do BMW Série 5 chegou ao Brasil com motores inéditos na linha, atualizações no visual e novos recursos tecnológicos. São duas versões: 530i, com um 2.0 de quatro cilindros e 252 cv, a R$ 314.950, e 540i, com um 3.0 de seis cilindros e 340 cv, pelo preço sugerido de R$ 399.950.

O sedã teve faróis e lanternas remodelados e ficou maior, o que refletiu no espaço interno. O pacote M Sport, de série nas duas configurações à venda no País, traz para-choques, saias laterais e rodas de liga leve com visual mais esportivo.

A maior virtude do Série 5 é justamente transitar bem entre o luxo e a esportividade. A cabine tem acabamento primoroso e bancos com excelente apoio para as costas. A nova suspensão equilibra conforto e firmeza e o nível de ruído do motor é muito baixo.

Ao mesmo tempo, o 3.0 de 340 cv tem fôlego de sobra para entregar muita disposição quando provocado. Essa versatilidade é acentuada pelos três modos de condução, ativados por botões no console central.

No Eco Pro, voltado à economia de combustível, as respostas são brandas, adequadas para o uso urbano. O Comfort aumenta a oferta de torque, deixando o carro mais esperto.

Mas é no Sport que o Série 5 mostra a que veio. O motor responde com voracidade - pisar fundo no pedal do acelerador em uma estrada livre chega a ser eletrizante.

Outra bossa do sedã alemão são os recursos de condução semiautônoma.O assistente de permanência em faixa é capaz de transpor algumas curvas sem intervenção do motorista e o controle de velocidade de cruzeiro adaptativo modula aceleração e frenagem de acordo com o fluxo dos demais carros na via. É possível tirar as mãos do volante por até cinco segundos. Basta manter um dedo encostado na direção para que o sistema "entenda" que o condutor está "presente".


Participe e comente