O motorista se aproxima da curva em alta velocidade, esterça o volante e contorna o traçado com perfeição, como se nada tivesse acontecido. Mas - muitas vezes - aconteceu. O sistema de frenagem conhecido por "vetorização de torque" é capaz de evitar perda de controle sem que o condutor perceba.

De acordo com o consultor técnico da Audi, Lothar Werninghaus, o dispositivo aplica freio na roda do lado de dentro da curva se o sistema detectar risco de derrapagem: "para isso, ele compara alguns parâmetros, como velocidade e ângulo de esterçamento da direção", diz.

"Digamos que o motorista vire o volante em 25 graus e o carro esteja a 100 km/h. Nessa condição, provavelmente o freio vai dar uma 'beliscada' na roda do lado de dentro da curva." Segundo Werninghaus, essa "beliscada" é o suficiente para manter o veículo sob controle. A frenagem por vetorização de torque é uma função adicional do sistema de freio ABS.

Antes que a tecnologia passasse a ser adotada, a função de apaziguar os ânimos de motoristas mais afoitos ficava a cargo do controle de tração e estabilidade.

Em caso de perda de tração ou inclinação de carroceria, esse tipo de sistema atua cortando torque do motor e aplicando freios.

Por isso, quando ele entra em ação, corta desempenho de forma muito intrusiva. Ao contrário disso, a vetorização de torque apenas "devolve" o carro à trajetória, e atua de forma quase imperceptível.

A tecnologia não é tão nova em modelos de marcas mais sofisticadas, como Audi e Porsche. Aos poucos, no entanto, ela vai chegando a automóveis mais acessíveis, caso do Honda Civic.


Participe e comente