A Yamaha fez mudanças importantes em uma de suas motos de maior sucesso, a Fazer 250. A nova geração da street feita em Manaus custa R$ 14.990 e parece uma "mini MT-03".

É na moto maior, que também é uma street (com motor dois cilindros), que a Fazer buscou inspiração para o visual, agora mais agressivo e esportivo. Entre as semelhanças estão o farol e a lanterna de LEDs, as linhas mais recortadas (com apliques plásticos nas laterais do tanque, para dar um aspecto mais encorpado), a ponteira de escapamento mais curta e o assento bipartido.

O chassi de aço tubular é novo. Segundo informações da fabricante, essa solução aumentou a rigidez torcional. Além disso, ante a geração anterior, a Fazer ficou quatro quilos mais leve

Na prática, a Fazer 250 continua com bastante agilidade no uso urbano, seu hábitat natural. A adição de um pneu mais largo na traseira poderia ter deixado a moto mais lenta, mais foi compensada pelo ângulo de cáster mais curto.

O motor é o mesmo da geração anterior: um monocilíndrico de 249,5 cm3, flexível, que rende até 21,5 cv e 2,1 mkgf. Com duas válvulas, é bom de arrancadas na cidade, mas, aliado ao câmbio de cinco marchas, "grita" muito quando exigido na estrada.

As suspensões estão mais firmes que as da geração anterior, o que gera pancadas secas em buracos e ressaltos, mas deixa a moto mais estável.

Apesar do aspecto mais esportivo da Fazer, a posição de guiar continua confortável para o piloto - com bom "encaixe" das pernas no tanque e pés nas pedaleiras. Como o assento foi bipartido, o garupa tem menos espaço.

PARA LEMBRAR
PRÓS
Freio ABS de série

Obrigatório a partir do ano que vem, o sistema já vem de fábrica e garante mais segurança nas frenagens.

CONTRAS
Espaço do garupa

O banco bipartido tem mais estilo, mas reduz o espaço destinado ao passageiro e também o conforto.


IRMÃ MAIOR. Mais robusta, a nova versão parece uma 'mini MT-03'. —DIVULGAÇÃO


Participe e comente