A Amarok está longe de ter o sucesso comercial de rivais como Chevrolet S10 e Toyota Hilux, mas a chegada do motor 3.0 V6 turbodiesel de 225 cv à linha alçou a picape da Volkswagen à posição de média mais potente à venda no Brasil.

A novidade está chegando às autorizadas neste mês na versão de topo, Highline, com tabela de R$ 184.990. O único opcional são as rodas de liga leve de 19 polegadas, a R$ 2.720 (as de série têm 18").

Em relação à mesma versão com o 2.0 de quatro cilindros biturbo (180 cv), cujo preço parte de R$ 170.990, as diferenças são as capas dos retrovisores pintadas de preto e os emblemas alusivos ao V6 na dianteira e traseira. Por dentro, o principal destaque é tela digital colorida no quadro de instrumentos.

O novo 3.0 é semelhante ao do Q7 (a Audi faz parte do Grupo VW), mas no utilitário alemão são 333 cv – 108 cv a mais que na picape argentina. Para comparação, o 3.2 de cinco cilindros da Ford Ranger e o 2.8 de quatro cilindros da Chevrolet S10 (também turbodiesel) geram 200 cv.

Força extra

No V6 da Amarok, a turbina de geometria variável garante bom desempenho em qualquer faixa de rotação. O torque, de 56,1 mkgf, está disponível a partir das 1.500 rpm.

Há ainda a função overboost, que acrescenta 20 cv de potência e 3 mkgf momentaneamente. O recurso é ideal para situações como ultrapassagens.

Ao ativar o overboost, o V6 entrega, por dez segundos, 245 cv, e o torque passa dos 59 mkgf. Essa força extra aparece quando a borboleta de aceleração está a 70% de seu curso total. Na prática, isso ocorre quando o acelerador está quase no chamado kickdown (fim de curso).

Em conjunto com o câmbio automático de oito marchas e a tração permanente nas quatro rodas, a picape pode acelerar de 0 a 100 km/h em 8 segundos e chegar aos 190 km/h, de acordo com dados da Volkswagen. Para segurar todo esse ímpeto, há discos de freio também na traseira (exclusividade na categoria).

Vigor
A Amarok V6 mostrou acelerações e retomadas de velocidade vigorosas, além de silêncio a bordo e baixo nível de vibração. Entre os itens de série, a versão Highline tem quatro air bags (dois frontais e dois laterais), faróis de xenônio com luz diurna de LEDs, bancos dianteiros com ajustes elétricos, central multimídia com navegador GPS, câmera na traseira, etc. O volante tem hastes que permitem trocas manuais de marcha.

Atrás, os passageiros sacolejam se o piso for irregular. Embora haja três tomadas de 12 volts (uma atrás), a Amarok tem apenas uma entrada USB. Outro ponto que chamou atenção negativamente é a grande quantidade de teclas "falsas" no console central, o que dá a impressão de que faltam itens ao modelo.

PARA LEMBRAR
PRÓS E CONTRAS
Prós: ACELERAÇÃO. O motor potente e com bom torque em baixa rotação garante respostas ágeis.
Contras: SEM AJUDA À CONDUÇÃO. A picape não tem assistentes de manutenção em faixa e de frenagem automática.

FICHA TÉCNICA
Preço sugerido: R$ 184.990
Motor: 3.0, V6, 24V, turbodiesel
Potência (cv): 225 a 4.000 rpm
Torque (mkgf): 56,1 de 1.500 a 2.500 rpm
Câmbio: Automático, 8 marchas
Carga útil (kg): 1.105


FORÇA. Amarok V6 alcançou a posição de picape média mais potente à venda no Brasil. — DIVULGAÇÃO/VW


Participe e comente