A loucura do trânsito faz muitas vítimas a cada dia. Entre elas, estão os retrovisores. Essas peças estão sempre expostas a danos, pela ação de motociclistas e também nas vagas cada vez mais apertadas das garagens modernas.

Na maioria dos casos, o consumidor que se dirigir a uma autorizada será obrigado a desembolsar o valor de um novo conjunto inteiro. A conta pode passar de R$ 3 mil, no caso de modelos de luxo. Em casas especializadas em retrovisores, porém, é possível encontrar soluções mais em conta.

Há oficinas que recuperam a capa do retrovisor, a partir de pedaços quebrados. "Fazemos um enxerto com o mesmo material, soldamos e damos o acabamento", explica o proprietário de uma loja de retrovisores, Miro Oliveira, que garante que a intervenção tem bom resultado. "Não dá para perceber que se trata de peça recuperada".

Peças novas

Alguns componentes não podem ser reparados. Mas é possível economizar um bom dinheiro trocando apenas as partes danificadas, em vez de comprar um retrovisor novo.

"Sai mais barato que acionar o seguro e pagar a franquia", pondera a proprietária de outra loja, Sueli Pereira. Ali, a capa do retrovisor de um HB20 sai por R$ 60 e a de um Golf, a R$ 150. Nos dois casos, a pintura custa mais R$ 80.

Quando compensa?
Nem sempre, porém, o conserto é a solução mais vantajosa. Modelos de entrada como o Onix contam com grande oferta de peças no mercado paralelo. Com isso, comprar um retrovisor novo pode sair mais em conta. Já no caso de modelos importados, a economia com o reparo é grande.


ECONOMIA. Oficinas independentes recuperam ou substituem peças danificadas. — ARQUIVO


Participe e comente