Cerveja de trigo com melancia não é uma excentricidade. No mundo cada vez mais experimental da bebida para dar conta de um consumo cada vez mais exigente e refinado, o apelo aromático e gustativo avança sobre fronteiras desconhecidas para apresentar produtos surpreendentes. A receita acima rendeu medalha de ouro a Eden Beer numa das mais importantes competições do país: o Festival Brasileiro da Cerveja, realizado recentemente em Blumenau (SC).

A conquista não foi nada modesta quando se considera os números da disputa, que envolveu exatos 2.034 rótulos inscritos por 332 cervejarias de todo o Brasil. No júri, especialistas de duas dezenas de países apreciaram 143 estilos diferentes da bebida. O empresário Leonardo Zancanaro Grasieri não esconde o entusiasmo com o resultado, mas reconhece que a conquista é representativa de um longo esforço no aprimoramento dos produtos da Eden Beer.

No mercado desde 2010, quando enormes tanques de aço inoxidável passaram a chamar a atenção num ponto pouco provável da Avenida Laguna, a empresa surfa na onda das chamadas 'cervejas artesanais', termo que ainda pede uma definição mais conclusiva. Aceita-se para encerrar a conversa que se trata daquela bebida elaborada com requintes caseiros e ingredientes de mais qualidade na comparação com a 'cerveja tradicional'.

O ouro no festival foi obtido pelo rótulo Patillazo, que disputou o concurso no estilo Hybrid/Mixed – Fruit Wheat Beer, expressão complexa que se refere à bebida produzida com a adição de alguma fruta. A cerveja integra o mix de rótulos sazonais da Eden Beer. A conquista do ouro garantiu a participação do rótulo no The Best of Show, que premia a melhor cerveja do concurso. Mas a consagração nesta fase do festival ficou para a próxima edição.

O resultado em Blumenau é representativo de uma trajetória ascendente num mercado fermentado por um consumidor cada vez mais exigente. Zancanaro lembra que a verdade do consumo em 2010 era muito diferente do cenário de hoje. O período é curto, mas há sete anos arriscar-se no mercado artesanal de cerveja era uma ousadia. Alguns investimentos bem sucedidos país afora atropelavam a dúvida, mas ainda era temerário.

De início, cinco tanques acomodavam cerca de 20 mil litros de cervejas lager, pilsen e munich, estilos que à época pareciam bastar para o consumidor. Hoje, são quase 90 mil litros e uma ampla variedade de estilos elaborados sob a supervisão do mestre cervejeiro Fernando Lezcano, profissional a quem Zancanaro atribuiu parcela significativa da qualidade do produto. Matéria-prima de qualidade e equipamentos modernos completam o trio do sucesso. (Edivaldo Magro)


PRÊMIO. Leonardo Zancanaro credita conquista aos constantes investimentos na qualidade de seus produtos.—FOTO: DIVULGAÇÃO

SOPA DE CERVEJA
Ingredientes
, 1/2 litro e leite
, 250 gramas de nata fresca
, 2 colheres de sopa de amido de milho
, 1 pitada de sal
, 3 colheres de chá de açúcar

, 1/2 litro de cerveja pilsen
, 1/4 de fava de baunilha (ou 3 gotas de essência de baunilha)
, 50 gramas de uvas-passas escuras
, 3 gemas
Preparo
w Numa panela, misture todos os ingredientes, menos as gemas. Ferva, retire do fogo e
espere 1 minuto. w Em seguida, acrescente as gemas, batendo. w Verifique o sabor e, se for necessário, acrescente mais sal e açúcar.
w Sirva quente.


Participe e comente