Oliveiras são árvores míticas. Estão associadas à história da humanidade desde sempre. Seus frutos, as azeitonas, igualmente fazem parte da cultura e da tradição de inúmeros países. Indícios dos primeiros plantios foram localizados na Síria e na Palestina. Estima-se que 5 mil anos antes de Cristo as oliveiras já eram conhecidas, plantadas e consumidas pelo homem. Mais do que alimento, a azeitona cumpriu funções distintas em cada cultura. Gregos e romanos utilizavam o azeite como medicamento e perfume. Mulheres, quando queriam engravidar, passavam longos períodos de tempo à sombra das oliveiras. Da madeira das oliveiras faziam-se ceptros reais e com o azeite ungiam-se monarcas, sacerdotes e atletas. Com as folhas faziam-se grinaldas e coroas para os vencedores. A oliveira era considerada símbolo de sabedoria, paz, abundância e glória.

Os egípcios atribuíam a Ísis, mulher de Osíris, Deus supremo da sua mitologia, o mérito de ensinar a cultivar a oliveira. Palas Atenea, Deusa da paz e sabedoria, filha de Zeus, era para os gregos a mãe da árvore sob a qual teriam nascido Remo e Rómulo, descendentes dos Deuses e fundadores de Roma, tendo feito brotar a oliveira de um golpe e, na sua grande bondade, ensinado o seu cultivo e o seu uso. Na gastronomia, a azeitona é protagonista e coadjuvante numa infinidade de pratos.

Entre os portugueses, os frutos são usados principalmente como aperitivo, mas são também consumidos como ingrediente de alguns pratos típicos, como o bacalhau à Gomes de Sá. Nas Ilhas Gregas, esse ingrediente também é bastante valorizado, sendo parte integrante de vários pratos, especialmente nas saladas de folhas, legumes e queijos. Na Espanha, um dos maiores produtores mundiais de azeite e azeitonas, os frutos estão presente em inúmeros pratos. As azeitonas também fazem sucesso no país como aperitivos, integrando as mais diversas receitas das famosas tapas. Nos pratos italianos a azeitona também é ingrediente constante, enriquecendo molhos ou sendo servidas em forma de pesto. Lá elas também estão presentes nas pizzas e nas bruschettas.

CURIOSIDADE

As mais antigas oliveiras do mundo, cuja idade é estimada em mais de 5 mil anos, estão no Líbano, na estância de Bacheale. The Olive Trees of Noah (As Oliveiras de Noé, também conhecidas como The Sisters) são na verdade um grupo de dezesseis oliveiras que ainda produzem.

De Adão e Eva a Noé

Segundo referências bíblicas, a oliveira já existia quando Adão e Eva foram criados. Uma lenda conta que, quando Adão chegou aos 930 anos de idade, se lembrou que o Senhor lhe tinha prometido o óleo da misericórdia para redenção dos seus pecados e os da humanidade. Enviou então seu filho Seth ao Jardim do Edén, onde um querubim três sementes de árvores do Bem e do Mal. Essa três sementes germinaram na boca de Adão depois de sua morte e delas nasceram três árvores no cume do Monte Tabor, no vale de Hebron: a oliveira, o cedro e cipreste. A Bíblia diz ainda que quando Noé enviou uma pomba branca para saber se as águas do dilúvio já tinham baixado, a pomba regressou com um ramo de oliveira. E foi assim que Noé incluiu esta árvore entre as quatro primeiras plantações que semeou: a oliveira, a figueira, a vinha e o trigo. (Por Dulce Rodrigues, escritora)

Itália tem 400 variedades
Existem centenas de variedades de azeitona nas diversas regiões produtoras. A Itália é a região que mais possui variedades com mais de 400, enquanto a Grécia que também é um grande produtor possui apenas 9.

Algumas espécies estão associadas a cada país, seja pela origem ou pela predominância de cultivo. Isso acontece com a Galega em Portugal, a Hojiblanca e a Picual na Espanha, Frantoio na Itália e Koroneike na Grécia.

As principais diferenças entre as variedades estão relacionadas ao cultivo, ao propósito a que destina e ao sabor. Algumas são mais produtivas, outras mais resistentes. Algumas são amargas e outras doces. Algumas são mais propícias ao azeite e outras mais para consumo como azeitona.

Portanto, dada a variedade e particularidades, o produtor escolhe a espécie em função do mercado que quer atingir e no caso do azeite, que característica quer obter no seu produto (mais intenso, intermediário ou suave). O mais comum é encontrar produtores que plantam mais de uma variedade para elaborar produtos que são blends de espécies e que agradam a média dos consumidores. (Fonte: Instituto do Azeite)

AS OLIVEIRAS NO BRASIL
As oliveiras chegaram ao Brasil junto com os primeiros europeus que desembarcaram no país logo após o descobrimento. "Pelo seu simbolismo, era muito comum encontra-las próximas a igrejas e capelas durante o período do Brasil Colônia. Quando o país começou a apresentar uma pequena produção, a família real, com medo de que o produto da colônia concorresse com o da metrópole portuguesa, ordenou o corte das árvores. Este fato impediu que a olivicultura tomasse grande impulso, e mais, os negociantes importadores portugueses, fizeram os brasileiros acreditarem na impossibilidade de ter bons olivais e por muito tempo o país só conhecia azeites e azeitonas que vinham de Portugal. Assim passamos a desprezar a cultura por um longo período. Novo crescimento da cultura só foi percebido após 1945, com o aumento das imigrações europeias após a 2ª Guerra Mundial. Foi mais ou menos nessa época que as primeiras oliveiras apareceram no Sul de Minas Gerais, pela iniciativa de pequenos produtores da região", conta Juliana Teramoto, pesquisadora do Instituto Agronômico de Campinas.

TAPENADE (PASTA DE AZEITONAS PRETAS)
Ingredientes
, 150g de azeitonas pretas
, 2 colheres de sopa de alcaparras (cerca de 50g)
, 6 filés de anchova (cerca de 50g)
, 3 colheres de sopa de azeite de oliva
, Suco feito com 1 limão
, 1 colher de café de pimenta moída
, 1 dente de alho

Preparo
w Misturar as alcaparras, os filés de anchova, as azeitonas e o alho em um mixer até alcançar a consistência de um purê. Incorporar azeite até que a tapenade alcance consistência encorpada e lisa. w Acrescentar o suco de limão, a pimenta e misturar.
Dica para que a tapenade fique ainda mais gostosa, deixe descansar na geladeira por algumas horas. Sirva com pães ligeiramente tostados.

OLIVE ASCOLANTE
Ingredientes
, 20 azeitonas
, 2 fatias de pão de miga (ou italiano)
, 1 colher (sopa) de farinha de rosca
, 1/2 colher de cebola picada
, 50g de linguiça, a sua escolha
, 2 colheres (sopa) de azeite
, Sal e pimenta-do-reino a gosto
, Salsinha para salpicar
, Farinha de trigo quanto baste
, 1 ovo batido

Preparo
w Numa frigideira doure a cebola no azeite, acrescente a linguiça e deixe refogar por 5 minutos. w Em seguida, acrescente sal e pimenta e o pão de miga, em cubos. Bata tudo no mixer. w Com a ajuda de uma seringa de cozinha ou saco de confeiteiro recheie as azeitonas já descaroçadas.
Para empanar
w Passe as azeitonas na farinha de trigo, no ovo batido e na farinha de rosca. w Frite em óleo quente, a 150°, até que as azeitonas fiquem douradas (cerca de 5 minutos). Decore com salsinha.

Participe e comente