A cultura vinícola é uma parte importante da Grécia há mais de quatro milênios. Recentemente, as técnicas e métodos de vinificação dos vinhos gregos sofreram notáveis melhorias, além de altos investimentos em tecnologia, possibilitando a produção de excelentes rótulos com uvas locais e outras como a Cabernet Sauvignon e a Syrah.

Além disso, a Grécia divide sua produção total de vinhos em sub-regiões vinícolas que apresentam características distintas entre si, entre elas: Macedônia, Thessalia, Epirus, Peloponeso, Sterea Ellada, Ilhas do Mar Egeu e Ilhas do Mar Jônico.

O famoso vinho Retsína, um dos ícones da Grécia, é produzido a partir de antigas técnicas, onde a resina de pinho é adicionada na bebida. Além de ser produzido por todo o país, a produção do Retsína concentra-se ao redor de Atenas, a fim de abastecer o consumo da bebida por turistas.

Nas mãos de Boutari, produtor eleito 17 vezes como "Vinícola do Ano" pela Wine & Spirits, uvas como a Moschofílero, a Xinomavro e a Agiorgítiko ganham brilho e produzem vinhos muito originais, que combinam finesse com uma excelente relação entre qualidade e preço. Já a vinícola Cambas produz vinhos mais tradicionais, incluindo os conhecidos Retsína e um delicioso vinho tinto de sobremesa.

Os maravilhosos vinhos gregos foram uma das melhores descobertas recentes para os apreciadores e conhecedores do vinho. Com suas castas locais de altíssimo nível, vinhos tintos e brancos de muita personalidade, o vinho grego vai muito além dos tradicionais Retsína.

Retsina é um estilo de vinho branco típico da Grécia, no qual durante a fermentação é acrescentada ao vinho resina de pinheiro. O costume deriva de uma prática antiga de conservação do vinho. Por falta de melhor tecnologia, os vinhos eram guardados em ânforas de barro nos quais a tampa era lacrada com resina de pinheiro para evitar a oxidação. A resina de pinheiro entrava em contato com o vinho e alterava seu sabor, o que até hoje é apreciado na Grécia.

Segundo a história, as vinhas e o vinho apareceram pela primeira vez na Grécia, por volta de 4000 a.C. Dionísio, filho de Zeus, era o deus da vegetação e do vinho e era adorado com festas e eventos em várias ocasiões.

Antigos autores escreveram sobre as áreas de produção, as celebrações e as festividades do vinho. Existem descrições detalhadas de processos de produção de vinho em inscrições que datam de 2500 a.C. A mais antiga prensa de vinho do mundo foi conservada na área de Arhanes, na ilha de Creta. Foram encontradas grainhas de uvas em túmulos antigos. Na Ilíada, Homero também descreve muitas cidades e regiões da Grécia como produtoras de vinho e elogia as suas tradições na produção desta bebida.

Na Grécia Antiga, o vinho era utilizado não só como bebida, mas também como medicamento. Era servido em copos de várias formas e tamanhos, cada um com um nome diferente. Vasos como as ânforas eram utilizados para servir o vinho no Symposium. As Kratiras (krater) eram vasos largos, de excelente qualidade, usados para armazenar o vinho. Um dos mais magnificentes kraters e também um dos mais bem conservados, está exposto no Museu Arqueológico de Salonica, uma peça da Escola de Praxíteles. (Fontes: Infovinho e Vinci)

CABRITO COM MOLHO DE LIMÃO E BERINJELAS
Ingredientes
, 1 Kg de carne de cabrito (pernil por exemplo)
, 6 colheres de sopa de azeite
, 5 cebolinhas picadinhas
, 1/2 alho poró picado
, 1 Kg de berinjelas cortadas em pedaços
, 1 colher de café de dill picadinho
, 1 colher de sopa de salsinha picadinha
, orégano
, sal e pimenta-do-reino
a gosto

Preparo
wLavar bem a carne, cortar em pedaços e temperar com sal e pimenta-do-reino. wRefogar a carne numa panela com 2 colheres de sopa de azeite. wJuntar a cebolinha, o alho-poró e o suco de limão. Juntar 1/2 xícara de água e deixar cozinhar em fogo brando por 20 minutos. wJuntar ao refogado as beringelas, o dill, a salsinha, o orégano, sal e pimenta-do-reino, assim como o restante do azeite e 1/2 xícara de água. wDeixar cozinhar em fogo brando por mais uma hora. Se quiser que essa comida fique mais leve, retire as descasque as berinjelas antes de usá-las

Variedades únicas

O que torna a Grécia e os vinhos gregos únicos e exuberantes são as mais de 300 variedades de uvas nativas cultivadas por todo o país, algumas dessas castas, desde tempos antigos. Entre as variedades, é possível encontrar a Agiorgítiko, que origina exuberantes vinhos tintos; a Assyrtiko, responsável por vinhos brancos secos, minerais e cítricos; a Malagousia, variedade de uva quase extinta e que elabora vinhos brancos com aromas de jasmin; a Roditis, base para vinhos rosés e brancos, leves e elegantes; a Xinomavro, casta tinta que produz vinhos florais, picantes e com taninos fortes; entre outras.

STIFADO
Ingredientes
,1kg de coelho (pode ser frango) cortado em pequenos pedaços
, 4 colheres de sopa de margarina
, 1 xícara de vinho branco
, 1 dente de alho
, 1 colher de chá de orégano
, 1 kg de minicebolas inteiras e descascadas
, 1/2 xícara de óleo (melhor azeite)
, Sal
, Pimenta do reino
, 1 copo de água

Preparo
wRefogar numa panela o frango com 2 colheres de sopa de margarina. wJuntar o vinho, o alho, 1 copo de água, sal, pimenta do reino e o orégano. wDeixar o frango cozinhar em fogo brando por 15 minutos. wDurante esse tempo, preparar as cebolas fritando-as brevemente em frigideira com óleo e o restante da margarina.
wJuntar as cebolas na panela com o frango e deixar cozinhar em fogo brando por mais 30 minutos. Servir com salada de alface.


Participe e comente