O chá verde, feito a partir da infusão da planta Camellia sinensis, tem esse nome porque as folhas da planta sofrem pouca oxidação durante o processamento. Sua preparação difere-se um pouco dos chás tradicionais já que a água não deve estar fervendo, pois, do contrário, as folhas acabam cozidas, proporcionando gosto amargo à bebida. O tempo de infusão, na maioria dos casos, também não deve ser maior que 3 minutos.

Segundo Yuri Hayashi, especialista em chás e autora do blog Chá Arte Vida!, quando tomamos essa bebida, recebemos cargas de cafeína e L-teanina, que nos proporcionam a sensação de estar despertos para realizar as tarefas diárias. Além disso, esse tipo de chá nos abastece com antioxidantes, que são importantes para obtermos diversos benefícios à saúde e auxiliam o combate de doenças.

Para aproveitar os benefícios dessa bebida milenar, além de consumi-la em sua forma natural, é possível utilizá-la em diversas receitas no dia a dia e surpreender os mais exigentes paladares. Para Yuri, a cada dia é mais comum encontrarmos alimentos que utilizam chás como base ou como sabor complementar: "O chá tem realmente um grande potencial para ser utilizado como ingrediente na cozinha".

Chá como ingrediente

Yuri desenvolveu duas sugestões para incorporar o chá de forma que seus aromas e sabores sejam sentidos na sua apresentação final:

1. Infusão concentrada do chá em líquidos utilizados na receita. Se a receita pede em algum momento leite ou água, simplesmente faça uma infusão concentrada (duas a três vezes maior do que o normal para a quantidade de líquido) do chá. No caso de sucos, você pode tentar substituir por água e fazer a infusão.

2. Infusão concentrada do chá em manteiga. Se a receita utiliza manteiga, derreta-a até chegar em 90°C e deixe o chá de molho por pelo menos 30 minutos. Depois, é só peneirar, espremendo bem as folhas para que saia todo o líquido. Você pode utilizar a manteiga em estado líquido ou voltar à geladeira (a manteiga solidifica).

"Em casos de chás encontrados na versão em pó (como o matcha, rooibos), fica mais fácil. Basta acrescentar o pó na receita, ajustando-a se necessário. Independentemente do seu formato, lembre-se de escolher um chá com personalidade, para que ele sobreviva ao processamento todo", recomenda Yuri


Participe e comente