As exportações brasileiras de produtos do agronegócio atingiram US$ 8,89 bilhões em abril de 2018, cifra 2,7% superior ao valor registrado em igual mês do ano anterior. O percentual representa um aumento de US$ 231,63 milhões no volume de comércio. Os números foram divulgados ontem pela Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio (SRI) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

De acordo com o ministério, a balança comercial de produtos agropecuários, diferença entre a exportação e a importação, gerou saldo positivo de US$ 7,59 bilhões em abril de 2018 contra US$ 7,57 bilhões contabilizados em abril de 2017.

O destaque da pauta das exportações no mês de abril foi o complexo florestal, puxado pelas vendas de celulose, que teve recorde no que diz respeito a quantidade, com um total de 1,17 milhão de toneladas, acréscimo de 10,4%, na comparação com o mesmo mês do ano anterior. A celulose também apresentou desempenho recorde no valor, com alta de 40,3% e US$ 643,80 milhões vendidos.

No complexo soja, o farelo de soja teve incremento de 30,7%, atingindo US$ 614,21 milhões em abril de 2018. Na quantidade, a alta foi de 16,9%, chegando a 1,55 milhão de toneladas.

De acordo com a análise do ministério, a seca na Argentina prejudicou a produção do grão possibilitando que o Brasil ampliasse suas exportações do produto, incorporando parte das vendas do país vizinho.

"Outros produtos que tiveram forte crescimento nas vendas externas foram bovinos vivos (224,3%) - com embarques principalmente para a Turquia, fumo (77,4%) e o suco de laranja (44,9%)", informou o ministério.

China

A China continua figurando como o destino principal das exportações do agronegócio brasileiro. O país asiático comprou, em abril, US$ 3,65 bilhões em produtos. "Em relação ao dinamismo dos mercados compradores dos produtos nacionais, os principais destaques do mês foram Portugal (US$ 107,08 milhões e +675,3%); Paquistão (US$ 126,08 milhões e +97,8%); Vietnã (US$ 142,18 milhões e +78,9%); Turquia (US$ 148,29 milhões e +69,1%); Alemanha (US$ 238,73 milhões e +48,2%); Itália (US$ 185,35 milhões e +47,5%); e Argentina (US$ 153,02 milhões e +44,9%)", disse o ministério, em nota.

Segundo o ministério, no período de janeiro a abril de 2018, o comportamento das exportações brasileiras reflete o perfil do mês de abril. O desempenho favorável também ficou por conta da celulose, com um incremento de quase US$ 1 bilhão no período, um aumento de 8,9%; fumo, com 87,5%; farelo de soja, com 18,9%, animais vivos com 231% e suco de laranja, com 41,9%.


REFLEXO. Soja teve crescimento considerável na exportação em decorrência da seca na Argentina. — FABIO SCREMIN/APPA

Participe e comente