R$ 200 bilhões é o valor do novo conjunto de tarifas impostas pelos Estados Unidos para a China, que entrou em vigor ontem, ameaçando aumentar ainda mais a divergência comercial entre ambas as potências. O secretário de Estado americano, Mike Pompeo, afirmou no domingo, em entrevista,que seu governo não tem intenção de frear as políticas comerciais em relação à China. "A guerra comercial entre China e Estados Unidos durou anos. Eis aqui o que é diferente neste governo: na medida em que alguém queira chamar isto de uma guerra comercial, estamos decididos a ganhá-la", explicou.

MAIS CEDO Com o tempo firme dos últimos dias, intensifica-se a semeadura de soja no Paraná, operação essa que ocorre mais precocemente em comparação aos últimos anos.

SAI UMA, ENTRA OUTRA Semear soja mais cedo é importante para o Estado, que tem aberto cada vez mais espaço para o milho na segunda safra.

EFEITO CASCATA No ano passado, as principais regiões produtoras do Paraná ficaram até 28 de setembro sem chuva, o que atrasou a semeadura e a colheita, postergando, consequentemente, a implantação da safrinha de milho, em seguida.

ANTES, MELHOR Quanto mais cedo se semeia a safrinha, melhor a janela para o desenvolvimento da safra. Se o cereal é cultivado mais tarde, fica mais sujeito à falta de chuva ou geadas — este ano, o Estado perdeu bons volumes pela seca.

MAIOR Em 2018/19, a safra de soja do Paraná está estimada pelo Deral em 19,6 milhões de toneladas, o que seria um crescimento de 3 por cento ante 2017/18, ficando atrás apenas do recorde registrado em 2016/17 (19,9 milhões de toneladas).

NA MESMA O Deral projeta a semeadura em 5,45 milhões de hectares, com estabilidade ante a temporada passada.

NOVA SEDE Nesta terça-feira, dia em que completará 33 anos, a cooperativa de crédito Sicredi União PR/SP vai lançar a pedra fundamental da nova sede, em Maringá, uma construção sustentável com espaços para uso da comunidade e creche para os filhos dos colaboradores.

LOCAL Os detalhes deste projeto serão apresentados a partir das 8h30 no local onde será erguido o prédio, que fica na avenida Paraná, esquina com a avenida Carneiro Leão, em Maringá (PR).

FRUTO DO CAMPO Atualmente uma das maiores cooperativas de crédito do país, a Sicredi União foi fundada por produtores rurais com o nome de Cooperativa de Crédito Rural de Maringá Ltda (Credimar).

O setor agropecuário representa uma parte significativa dos mais de 180 mil associados da instituição.

NOVO PRESIDENTE O Conselho de Administração da Embrapa escolheu Sebastião Barbosa, pesquisador de carreira aposentado, como novo presidente da estatal. A indicação ainda precisa passar por análise da Casa Civil, mas sua nomeação deve ser publicada até 10 de outubro. Ele substitui a Maurício Antonio Lopes, no cargo
desde 2013.

PELEJA Na disputa com Barbosa estavam o pesquisador Cléber Soares, atual diretor da Embrapa e que chefiou a unidade Gado de Corte em Campo Grande (MS), e o ex-ministro da Agricultura, Luís Carlos Guedes Pinto, o único candidato de fora da empresa.

FLORESTAS PLANTADAS O Brasil tem 9,85 milhões de hectares de florestas plantadas, sendo 75,2% de eucalipto e 20,6% de pinus, conforme mostra o levantamento Produção da Extração Vegetal e da Silvicultura (Pevs) 2017, divulgado na quinta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

PARANÁ LIDERA A maior concentração está nas regiões Sul e Sudeste, que respondem, respectivamente, por 36,1% e 25,4% do valor da produção total, impulsionadas pelo setor de florestas plantadas. O líder entre os Estados é o Paraná, com R$ 3,7 bilhões de valor de produção, seguido por Minas Gerais, com R$ 3,3 bilhões, e Santa Catarina, com R$ 1,8 bilhão. Do total de áreas plantadas, 41,9% do eucalipto estão na Região Sudeste e 87,7% do pinus ficam na Região Sul.

MADEIREIROS Os produtos madeireiros respondem por 90% do valor da produção florestal do país e tiveram aumento de 3,6% no ano passado. Separados em categorias, os produtos madeireiros plantados para fins comerciais tiveram aumento de 5% e os de extração vegetal recuaram 2,7%. Segundo o IBGE, isso se deve ao maior controle na exploração das espécies nativas e ao incentivo à preservação das florestas.

NA FRENTE Em silvicultura, o Paraná se destacou com crescimento de 8,6% em 2017 e valor de produção de R$ 3,3 bilhões. Só em madeira para papel e celulose, a produção paranaense cresceu 15,6%, devido à ampliação do parque industrial no Estado.

CRESCEU Com isso, o Paraná superou Minas Gerais, que teve crescimento de 3,8% e alcançou R$ 3,2 bilhões, tendo o carvão vegetal como principal produto, que cresceu 7,4% e atingiu valor de produção de R$ 2,1 bilhões.

MENOS EXTRATIVISMO Nos últimos 20 anos, a participação do extrativismo e da silvicultura no total da produção primária florestal se inverteu. Se em 1996 o extrativismo era responsável por 60% da produção florestal do país, os números vêm caindo e, desde o ano 2000, a silvicultura ultrapassou o extrativismo e continua em expansão.

Participe e comente