O momento de transição pelo qual passa o jornal impresso não é, na visão do empresário, jornalista e sócio-proprietário de O Diário, Franklin Vieira da Silva, nenhum indicativo de que o setor está na direção do desaparecimento. A imposição gradativa da mídia digital deixará sempre espaço para a sobrevivência do jornalismo palpável. "O que vivemos é um tempo de integração entre os sistemas. No nosso caso, permanecemos fiéis ao tradicional modelo pelo fato de que, está constatado, existe uma população consumidora de informação que não abre mão desse formato. A praticidade e o prazer de folhear um exemplar de jornal é insubstituível", observa.

Mas o dirigente destaca que não há resistência ao imponente 'momento novo' do setor. "Estamos atentos também, investimos em nosso Portal e em nenhum instante nos ocorreu deixar órfãos os adeptos da modernidade. Reconhecemos que a instantaneidade da mídia digital faz parte da vida das pessoas e disponibilizamos este serviço com qualidade e atenção", explicou.

Com a experiência de quem militou como profissional no próprio O Diário, antes de se tornar presidente do grupo, Frank Silva ensina que o papel do jornal de papel se modificou ao longo do tempo, sem perder um único parágrafo de sua importância. Ele admite existir uma natural concorrência com o digitalismo, mas a reportagem profunda, documental, crível e empolgante será sempre missão do secular jornal impresso.

Diante do fato de que a agilidade via internet disponibiliza os acontecimentos mais celeremente, quase que em tempo real, o experiente jornalista pede atenção para a consistência da informação que só é possível no bom e velho jornal de papel. Ali o leitor encontrará sempre um viés diferenciado onde sobressairá estilo e originalidade de quem dá a notícia. Não é uma questão de tradicionalismo, observa. "O nosso foco está em praticar as duas mídias com eficiência e credibilidade, atendendo aos anseios dos leitores que querem a informação em mãos ou pelo odiario.com", conclui.©


Na leitura de Frank Silva, jornalista e sócio-proprietário de O Diário, a mídia impressa tem sua importância e o prazer de folhear um exemplar de jornal é insubstituível
Para Frank Silva, existe uma população consumidora do jornal impresso que não abre mão desse formato. — HEITOR MARCON

Participe e comente