Em uma revolucionária ação de sustentabilidade, a Exposição Feira Agropecuária, Industrial e Comercial de Maringá (Expoingá) deste ano traz uma unidade demonstrativa de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF), um novo sistema que tem apresentado excelentes resultados no quesito preservação do meio ambiente e produtividade no campo. De acordo com a organização, todo o sistema é montado em uma área de 750 m2, próxima aos pavilhões dos bovinos.

A ILPF é uma estratégia de produção sustentável que está se consolidando na agropecuária. A tecnologia consiste na diversificação e integração dos diferentes sistemas produtivos, como agrícola, pecuária e florestal, dentro de uma mesma área, em cultivo consorciado, em sucessão ou rotação, beneficiando todas as atividades.

O canteiro apresenta consórcio entre milho, pasto e eucalipto. Para o engenheiro agrônomo responsável, Renato Watanabe, gerente da área técnica da Cooperativa Agroindustrial de Maringá (Cocamar), trata-se de uma proposta viável para a região, onde o gado ganha conforto térmico, a pastagem é renovada a baixo custo e o produtor diversifica a renda. "Há várias possibilidades de fazer integrações, e à medida que o sistema se torna mais conhecido, certamente a adesão irá aumentar", relata.

O engenheiro afirma que atualmente, cerca de 200 produtores já adotam o projeto na região noroeste do Paraná.

A demonstração é uma parceria da Sociedade Rural de Maringá (SRM) com a Cocamar. "Apresentar algo tão interessante é uma forma de disponibilizar para os produtores e profissionais da área, os novos conhecimentos e tecnologias existentes para o campo", conclui a presidente da SRM, Maria Iraclézia de Araújo. ///VR

Participe e comente