Por mais que as escolas incentivem os alunos a lerem desde cedo, o tempo que os pequenos passam na instituição é resumido. Por isso, para que a criança passe a gostar de ler e transforme a leitura, efetivamente, em um hábito diário, o incentivo dos pais é essencial. E se os pais forem amantes da leitura, melhor ainda, porque as crianças serão incentivadas por meio do exemplo.

Sabendo disso, a coordenadora escolar e mãe Paula Bastos faz o dever de casa todos os dias: ler, para incentivar os filhos Rian, 10, e Raissa Sarvezuk Bastos, 6, que estudam no Colégio Adventista - onde ela trabalha. "Eu busco ler sempre. Tanto que eles sempre me perguntam 'já estudou sua lição hoje, mãe?'. Além disso, desde que são bebês, eu tenho o hábito de ler para eles antes de dormir", conta a mãe.

"É necessário criar uma rotina. Não podemos deixar eles fazerem o que querem, senão ficam só na frente da televisão. Então, todos os dias, eles chegam da escola, almoçam, descansam um pouco, e têm uma hora para leitura. Nesse período, eles podem ler livros, ou até algo no smartphone. Nesse último caso, o uso é controlado, e eu escolho o assunto para eles lerem", conta Bastos.

Segundo ela, o incentivo da escola também é essencial. "A Raissa está começando a ler agora. Antes, ela vinha da escola e me fazia ler três livrinhos para ela. Além disso, tem a ficha de leitura que eles têm que preencher uma vez por semana. O Rian mesmo, já leu todos os livros da série 'Diário de Um Banana'", acrescenta a mãe.

A administradora escolar do Colégio Adventista, Iris da Silva Marques, explica que o ser humano é um "imitador", e que os adultos que convivem com essa criança - sejam os pais, avós, professores -, são exemplos para ela e influenciarão em suas decisões.

"É importante que a criança tenha acesso a materiais literários desde pequena, mesmo que seja para 'rasgar'. Isso faz parte do desenvolvimento. O contato com o livro desde muito cedo, antecipa a leitura e desenvolve os hábitos de adquirir mais e mais conhecimento", explica.

E com tantos atrativos eletrônicos como smartphones, tablets e computadores, como despertar o interesse dos pequenos pela leitura nos dias de hoje?

"É um grande desafio. Se faz necessário uma força tarefa dos pais no contra-turno, porém sabemos da realidade de nossa sociedade, onde as mães também estão inseridas no mercado de trabalho, o que torna a tarefa da escola mais desafiadora. O professor precisa usar a criatividade para que o aluno desenvolva o prazer pela leitura. Um mural de destaque de leitura em sala de aula pode ser um bom incentivo. Deve ser colocado o nome de todos que alcançam o alvo de leitura da sala, não somente do melhor. É interessante que esse alvo seja do alcance de todos os alunos da sala para que todos possam se motivar a participar", ressalta Marques.

Inserir a criança no mundo da leitura é de grande relevância, pois ainda na tenra idade elas têm grande capacidade intelectual de assimilar as informações do meio ao qual estão envolvidas. Segundo a administradora escolar do Colégio Adventista, o papel dos educadores é transmitir a leitura como um processo que acontece naturalmente, de forma prazerosa e acessível a sua faixa etária.

"No processo de alfabetização, normalmente a criança tem 'medo' de ler para o outro. Mas a leitura é muito mais que realizar a leitura de um texto. Quando a criança vem à escola, ela já realiza a leitura. Leitura do mundo, leitura de uma imagem, etc. É essencial que o educador trabalhe de forma que o aluno se sinta seguro em relação a leitura que é capaz de fazer e de acordo com sua faixa etária. A partir do momento em que o aluno se sente seguro diante daquilo que é capaz de apresentar, estará mais aberto para que seu potencial seja melhor aprimorado, atingindo os demais níveis de leitura", enfatiza Iris da Silva Marques.

Pensando nisso, o Colégio Adventista promove projetos em que a criança se familiariza com os livros de forma a promover a leitura formal. Assim a criança irá desenvolver diversas habilidades, como a linguagem e ampliação do vocabulário.

Um dos projetos é a "Sacola Literária". Semanalmente, os alunos vão à biblioteca com suas sacolinhas e pegam livros para ler. Para cada livro lido juntamente com a família, é feita uma ficha, que é entregue a professora. Após a escolha do livro, a professora escolhe um título para contar a história e, em alguns momentos, realizar a dramatização.

"Desejamos formar cidadãos pensantes, reflexivos, capazes de tomar decisões acertadas, portanto a leitura é que vai ampliar os horizontes, formar opiniões e crescer em suas ideias" acrescenta a administradora escolar do Colégio Adventista.


LIVROS. Os irmãos Rian e Raissa Sarvezuk Bastos já sabem: todos os dias, após o almoço, tem a hora da leitura. Incentivo vem da mãe, Paula Bastos, que dá o exemplo em casa. — JOÃO PAULO SANTOS

Participe e comente