Quando o fim do nono ano do Ensino Fundamental se aproxima, as dúvidas começam a surgir na cabeça dos alunos: como se preparar para o Ensino Médio? Como manter a calma e acompanhar o novo ritmo de estudos? Nesta fase cheia de desafios, a escola tem um papel importante de orientar os estudantes para que se organizem com as aulas dessa nova etapa - muitas vezes, mais intensa e "puxada".

Os alunos se mostram bastante ansiosos para este momento. Afinal, serão novos professores, nova dinâmica de aula, de provas, material didático, horários e amigos. Enfim, uma nova rotina.

A Júlia Villaça da Silva, 14, está concluindo o nono ano do Ensino Fundamental neste ano, na Escola Magnus Domini - onde estuda desde 2010. Para ela, estar "com um pé" no Ensino Médio traz um misto de sentimentos. "Estou muito ansiosa com todas as mudanças, sobre a escola e as pessoas novas, mas também triste de ter que sair da Magnus, porque vou me separar da maioria dos meu amigos próximos. Tenho algumas dúvidas em relação ao esquema de provas da nova escola, além de como funciona o PAS/UEM e vestibular. Também tenho um pouco de medo de as provas serem muito difíceis", conta a jovem.

Segundo ela, os professores conversam, frequentemente, sobre a nova etapa que está por vir. "Eles dizem que deveremos nos dedicar mais aos estudos, que os novos professores serão mais rígidos e que não devemos deixar para estudar apenas um dia antes da prova. Além disso, eles tentam nos tratar mais ou menos como tratam os alunos dos Ensino Médio, para irmos nos acostumando", explica.

Segundo a coordenadora pedagógica das séries finais do Ensino Fundamental da Escola Magnus Domini, Larissa Marega, diante de tantas expectativas, toda a equipe da instituição busca acolher tais questionamentos, orientando os alunos e encorajando-os, também, a vivenciar essa fase de modo completo.

"Nossos alunos do 9º ano estudam de forma autônoma, pois as exigências e os conteúdos trabalhados nesta etapa já apontam para os primeiros desafios que eles encontrarão no Ensino Médio. Os professores de Física, Química e Literatura, por exemplo, buscam aprofundar conceitos específicos de interpretação e análise reflexiva, seja para garantir a compreensão leitora ou para sustentar o desenvolvimento de cálculos", explica.

Mas, como preparar os alunos - no sentido pedagógico e psicológico - para essa nova etapa? Nos processos avaliativos, a equipe de professores da Escola Magnus Domini – ao formular uma avaliação – procura contemplar questões de somatória de diversas universidades brasileiras. Nessa perspectiva, a instituição aplica o Simuladomini aos alunos do 9º ano, para que treinem competências acadêmicas importantes, como raciocínio lógico, administração do tempo, inferências, entre outros.

"Há, ainda, dois projetos muito significativos na escola para solidificar o vínculo afetivo que é estabelecido em nossa instituição ao longo de catorze anos: no primeiro semestre, os alunos participam de um acampamento 'Integração SER', nele são desenvolvidas dinâmicas para trabalhar a transição de segmento, do Fundamental para o Médio. Já no segundo semestre, os alunos participam da Viagem Pedagógica de Formatura, momento este que marca a despedida da turma, nesse caso, a palavra de ordem é gratidão pela convivência e pela amizade construída", ressalta Marega.

Para a aluna Júlia Villaça da Silva, o acampamento 'Integração SER' trouxe bons resultados. "Com essa integração, tive a chance de interagir com os meus amigos nesse último ano que estamos passando juntos na Magnus Domini. Acho que foi uma ótima oportunidade para relembrarmos o que vivemos juntos até o nono ano", acrescenta.

Magnus Domini: 21 anos de excelência
Nos últimos anos, o resultado do desempenho dos alunos no vestibular aponta para o trabalho de excelência que a Escola Magnus Domini tem construído ao longo de 21 anos de existência. De acordo com a coordenadora pedagógica das séries finais do Ensino Fundamental da instituição, Larissa Marega, alunos que estudaram lá desde a Educação Infantil estão se destacando nas provas.

"É o caso do Júlio César Honório, que foi nosso aluno desde a Educação Infantil e hoje cursa Medicina na Universidade Federal do Paraná (FPR), tendo sido aprovado em 1º lugar. São conquistas como essa que nos revelam a importância em se explorar na realidade educacional, hoje, a aprendizagem pela experiência, mantendo – em um desafio constante, porém necessário – o rigor acadêmico e o apreço pelo conhecimento", enfatiza.

Participe e comente