O tão sonhado ingresso no Ensino Superior vem acompanhado de uma sobrecarga de mudanças e adaptações, como a forma de estudar - que tende a ser "mais independente" -, os novos colegas de sala e a responsabilidade de encarar a profissão escolhida. Além disso, tem a questão financeira. Em alguns casos, os pais conseguem bancar a faculdade dos filhos, mas em outros, o aluno precisa trabalhar durante toda a graduação para se manter. Essa jornada dupla pode ser extremamente exaustiva e, nesse contexto, os maus hábitos - como sedentarismo e má alimentação -, se instalam.

Mas, a correria do dia a dia, de muito estudo e trabalho, nunca foi motivo para impedir que Arnon de Abreu Silva, 23, deixasse sua saúde de lado. Ele faz o curso de administração de empresas na Unifamma e trabalha como analista de assistência técnica em uma empresa do segmento de ar comprimido. Mas todos os dias, no final da tarde - durante uma hora - lá está ele: treinando na CEMS Academia.

"Me faz muito bem treinar, melhorou muito minha disposição e psicológico, além de 'quebrar' minha rotina do dia a dia. Não me vejo sem treinar, já faz parte da minha vida. É um pouco corrido, mas tudo depende da sua vontade e organização do seu tempo. É possível para todos. Não importa a rotina, basta querer. Não devemos inventar desculpas a nós mesmos e, muito menos, acreditar nelas. Se não conseguir treinar uma hora por dia, faz trinta minutos, quinze. Nada é perdido", explica Arnon de Abreu Silva.

De acordo com a diretora técnica/pedagógica da CEMS Academia, Juliana Miyaki da Silveira, a prática de atividade física é fundamental para manter um equilíbrio na rotina do universitário. "A atividade física regular estimula a socialização, serve como 'antídoto' natural de vícios, ocasiona maior empenho na busca de objetivos, reforça a autoestima, ajuda a equilibrar a ingestão e o gasto de calorias, leva a uma menor predisposição a moléstias, alivia as tensões e estresse da rotina corrida", explica.

Segundo ela, é muito importante que os pais tenham incentivado os "pré-adultos" na prática de atividade física durante toda sua infância. "Desta forma, agora, eles terão uma memória motora e habitual favorável a se manterem ativos, o que facilita muito essa busca pela prática de atividade física mesmo na correria do dia a dia, é como andar de bicicleta 'quando aprendemos na infância nunca esqueceremos'", ressalta Juliana.

Uma das atividades mais adequadas e indicadas para os universitários é o treinamento funcional. Além do horário ser flexível - das 6h30 às 22h -, os treinos podem variar de quinze minutos a uma hora, sendo adequados ao tempo e objetivo dos alunos.

Mas, para quem gosta de "suar no molhado", a CEMS Academia tem as aulas de natação, de 45 minutos, que além dos benefícios físicos, gera a sensação de bem estar e relaxamento.


DETERMINAÇÃO. Mesmo na correria do dia a dia, Arnon de Abreu Silva consegue conciliar trabalho, estudos e academia. — JOÃO PAULO SANTOS

Metodologia do treinamento funcional

O treinamento funcional deve ser utilizado para melhorar a "funcionalidade do corpo". Para isso, é importante treinar o movimento - empurrar, puxar, agachar, andar - e não o músculo X ou Y, de forma isolada - como bíceps, tríceps, quadríceps.

O grande segredo do treinamento funcional é analisar os padrões de movimento do aluno e fazer uma progressão, preparando a parte articular e muscular antes de se colocar sobrecarga. Isso porque colocar carga em cima de uma articulação com disfunção pode gerar lesão. Para isto, utiliza-se a prescrição de exercícios integrados, preparando para a rotina do dia a dia.

A nova estrutura da CEMS Academia segue uma tendência mundial, que é ter o espaço funcional dentro da musculação, ou "musculação híbrida". A metodologia melhora a qualidade do treino e prepara os alunos para as atividades do dia a dia.

Participe e comente