Com apenas 16 anos e um ano adiantado no colégio, Gabriel Schuenk estuda de manhã, de tarde e de noite. Ele é aluno do terceiro ano do Ensino Médio do Colégio São Francisco Xavier - onde estuda desde 2016 -, e, recentemente, decidiu que quer cursar medicina. Consciente da alta concorrência do curso, o jovem tem se preparado para isso criando uma rotina de estudos e organizando suas atividades diárias.

"Eu estudo de manhã no colégio, nas aulas normais do 3º ano do Ensino Médio. Durante a tarde, estudo o conteúdo que vimos de manhã, e também para as provas do colégio. De noite, tenho aulas em outra instituição, onde estudo só as disciplinas específicas: biologia e química. No sábado, faço bastante exercícios do conteúdo da semana, e no domingo pratico a redação. Também saio para correr nos finais de semana", conta Schuenk.

O jovem ressalta que está se esforçando, mas que procura não se cobrar tanto. "Eu estou bem tranquilo, porque não tenho tanta pressa. Para entrar na universidade é necessário ter maturidade, se preparar para o que está por vir. Meus pais também são bem tranquilos e me apoiam bastante nesse sentido. Quando estou muito cansado, eles conversam comigo e fazem algo para que eu possa me distrair", acrescenta o aluno.

O aluno Gabriel Marcone, 16, do segundo ano do Ensino Médio do Colégio São Francisco Xavier, também está decidido: quer medicina. Para isso, ele prestou o vestibular de inverno deste ano da Universidade Estadual de Maringá (UEM), para enfermagem - que tem as disciplinas específicas mais parecidas com medicina. E o resultado foi surpreendente: o jovem ficou em primeiro lugar no curso. Além disso, ele obteve a segunda maior nota geral do PAS/UEM no ano passado, quando estava no primeiro ano do Ensino Médio

E para se preparar para o vestibular, Gabriel Marcone utiliza o que ele chama de "blocos de estudos". "Estudo 45 minutos, e descanso 10. Depois mais 45, e descanso 10. Vou alternando. É uma forma mais dinâmica, porque durante os 45 minutos eu foco no conteúdo - não mexo no celular, não paro para nada -, e nos 10 minutos eu posso refrescar a mente. Flui melhor, e funciona muito bem para mim", conta.

Normalmente, Marcone passa o dia no Colégio São Francisco Xavier. Quando não está em aula, fica na sala de estudos. "Também procuro olhar os editais que a UEM coloca, porque às vezes muda uma coisa ou outra e é bom estar atento aos conteúdos que eles pedem. Além disso, faço as provas anteriores, já que meu foco é UEM. Eu mesmo corrijo e vejo se estou evoluindo", conta.

De acordo com a coordenadora educacional do Colégio São Francisco Xavier, Caroline Longhini Carniel, a preparação para o vestibular começa no Ensino Fundamental. "No 9º ano, o aluno já começa a realizar simulados com questões somatórias, seguindo os padrões dos vestibulares da UEM e de outras instituições de Ensino Superior. A grade curricular do Ensino Médio é maior e mais intensa que a grade do Ensino Fundamental, proporcionando ao aluno maiores possibilidades de expansão do conhecimento e habilidades, e têm início o cursinho preparatório para o PAS/UEM e o PSS/UEPG. A partir da 2ª série do Ensino Médio, os alunos começam a frequentar aulas específicas de disciplinas do seu interesse, aprofundando seus conhecimentos. São incentivados pelo colégio a realizar as provas do Enem e vestibulares como para se adaptar à rotina de um processo como esse, os preparando melhor para quando chegar a sua vez", explica.

A 3ª série possui a maior grade curricular do Ensino Médio e suas avaliações semanais são substituídas por simulados que seguem o modelo de questões da UEM e do Enem. Os alunos ficam integralmente na instituição, revisando as aulas na sala de estudos, participando das aulas de disciplinas específicas, cursinhos preparatórios e monitorias para sanar todas suas dúvidas - espaço que é aberto a todos os alunos interessados.

"No processo de preparação para o vestibular os alunos já começam a fazer escolhas e suas opções por cursos e áreas afins, o que faz com que, por tendência, se empenhem mais por disciplinas específicas. Contudo, cada aluno tem entendimento que todas as disciplinas possuem sua importância e peso para a provação, por esse motivo o colégio oferece praticamente todas as disciplinas em contra turno em uma modalidade diferenciada, de forma que os professores aprofundam os conteúdos e as explicações, deixando cada conteúdo mais interessante para o aluno que frequenta", enfatiza Caroline.

Além das disciplinas específicas, as demais disciplinas e o cotidiano têm muita importância no processo do vestibular, por isso é preciso incentivo sempre para que além de estudar, os alunos se atentem à internet, aos noticiários, aos jornais, aos assuntos e acontecimentos marcantes.

É preciso compreender que, antes de alunos, eles são adolescentes e jovens, estão passando por um momento de fundamental importância para suas vidas, por isso o Colégio São Francisco Xavier trabalha na individualidade, sabendo que cada aluno tem suas próprias vivências, frustrações, desafios, sonhos, motivações.

"A partir de um trabalho Sócio Emocional e psicológico do aluno, com atendimento de psicóloga durante o todo o processo educativo, assim como um projeto de pastoral jovem - instalado dentro do colégio -, o aluno é motivado a buscar suas essências, se divertir com sabedoria, discernir entre o que é melhor para si, dosando sua vivência juvenil aos estudos e vida social, amparado pela escola e família. Proporcionamos ao aluno momentos de apego maior com Deus, realizando e desenvolvendo atividades que o distraiam durante o ano, como acampamentos, encontro de jovens, grupo musical (banda), além de atividades tradicionais como festa junina, gincana cultural e esportiva e a feira do conhecimento (antiga feira de ciências). Essas atividades são primordiais para impedir que os alunos desanimem ou caiam na rotina", ressalta a coordenadora educacional.

Participe e comente