Maringá ocupa primeiro lugar de melhores cidades
É por isso que em breve farei parte deste cenário, na cidade que escolhi para viver para o resto de minha vida! "Maringá se destaca em serviços essenciais", página A3, 2/12/2018.
Francisco de Assis Eufrásio, via odiario.com

Shows na Expoingá
Na minha humilde opinião, para um cantor vir por três anos consecutivos, alguém está ganhando algum agrado por fora para fechar a venda de shows com cantor a, b ou c. Eu acho que tem muita dupla e solo muito bons em evidência. Um exemplo que posso citar é o cantor Eduardo Costa que nunca veio na Expoingá, veio em outras situações, mas não em uma Expoingá, e nunca trazem ele, isso é só um exemplo. "Depois de Gusttavo Lima, SRM anuncia Jorge e Mateus na Expoingá", odiario.com
Fernando Henrique Cardoso,
via odiario.com

Habeas Corpus de Lula
Recorrer a justiça para é um direito de todo cidadão em uma democracia; recorrer de algo é pedir que se reveja que atitudes erradas tomadas anteriormente sejam corrigidas em instâncias superiores da justiça. Quanto ao ex-presidente Lula isso se tornou uma coisa de muito mal gosto. Ele já foi condenado em primeira instância. Seus advogados recorreram ao tribunal da quarta região e os juízes de lá não só mantiveram a pena como aumentaram a mesma. Seus advogados então recorreram ao Supeior Tribunal de Justiça e os ministros mantiveram a pena e também sua prisão. Recorreram ao mais alto escalão da justiça brasileira, o Supremo Tribunal Federal, que manteve sua condenação. Agora nota-se a incongruência desse habeas corpus julgado. Se o juiz Sérgio Moro foi imparcial, porque todas as esferas de justiça mantiveram essa condenação? Se o juiz Moro foi leviano, porque os julgadores de instâncias superiores concordaram com a pena? Então resta saber se o judiciário brasileiro em suas instâncias superiores estão realmente a fazer justiça independente do ladrão. "Segunda Turma do STF julga habeas corpus de Lula nesta terça-feira", odiario.com
Narioflasio de Souza, via odiario.com

Desacordo do clima
Parabéns ao presidente eleito Jair Messias Bolsonaro, por ser contra a realização da COP25 no Brasil, com relação ao Acordo do Clima para 2019. Aqui no Brasil, onde iríamos receber aproximadamente 20 mil pessoas e delegações de aproximadamente 192 países que iriam supostamente debater o clima aqui em terras brasilianas.
A decisão foi correta porque o Brasil sediou a Eco92, a única que ajudou um pouco a mostrar aos humanos a importância da preservação da natureza e da vida. Na época contamos com grandes cientistas, governantes e celebridades. Citamos dois: o grande cantor Sting que foi o grande avatar da conferência, poucos souberam, mas foi ele quem conseguiu junto ao presidente Fernando Collor de Mello, que a conferência só sairia se demarcassem as terras indígenas e a criação do Parque Nacional do Xingu, onde o grande cacique Raoni lutou muito por isso e conseguiram, porque o Sting foi decisivo. Outro grande participante da conferência do clima na Eco 92 foi o comandante Jacquez Cousteau que teve um trabalho muito importante porque conseguiu colocar na ONU, seu projeto de que as gerações futuras deveriam ter direito a natureza e a vida. Passados 20 anos a Rio+20 foi realizada pela ONU, no Rio de Janeiro. Nenhum benefício foi alcançado a não ser as propostas que nunca saíram do papel. Isso ocorreu também em Paris em 2015, na COP21, que até hoje nenhum benefício para o planeta Terra foi colocado em prática, a nao ser a elevação da matriz energética do carvão pela China e a Índia, e os USA contribuem hoje com 34% pela indústria do carvão. Parabéns ao presidente Bolsonaro pela corajosa decisão, não podemos gastar US$ 100 milhões para satisfazer a ONU, em detrimento dos 13 milhões de brasileiros desempregados, e dos que sofrem pela falta de recursos em saude e educação. Ecologicamente.
José Pedro Naisser

Participe e comente