Os refugiados merecem nosso respeito e atenção
A pátria é a primeira referência social do ser humano. É o porto seguro de qualquer sociedade. Refugiados são pessoas à procura de um espaço onde possam morar, se alimentar, trabalhar e readquirir a cidadania roubada. Monstros são os gestores da pátria roubada, sucateada, destruída pela insanidade de deuses do fanatismo e da ignorância. O refugiado precisa e merece acolhimento, compreensão, incentivo, disposição, respeito, solidariedade... "Não encontrei monstros, e sim pessoas", página D1, 29/12/2018.
Maria Celia Resende Zanatta, via odiario.com

Desgraças
É impressionante como acostumamos com as desgraças que acontecem com o nosso país; acostumamos com as mais de 50 mil mortes por ano que ocorrem no trânsito. Acostumamos com os mais de 60 mil homicídios cometidos por ano no Brasil. Acostumamos ver diariamente nos noticiários as pessoas morrendo na fila de hospitais por falta de atendimento; de pessoas morrendo esperando medicamentos que o governo se recusa a dar aos mais necessitados. Acostumamos a ver crianças nas ruas envolvidas em todo tipo de crime e usando drogas. Acostumamos a ver os políticos quando candidatos prometerem que irão mudar a situação caótica em que o Brasil se encontra. Vemos constantemente os policiais serem maltratados e suas mortes serem comemoradas por moradores onde o tráfico domina. Acostumamos ver operações policiais a cada dia prendendo envolvidos em desvios de dinheiro público e sendo solto por ministros do Supremo Tribunal Federal. Já não nos emociona mais a morte sem motivo, o caráter corrompido, a moral sendo jogada fora como se fosse um empecilho. Espero um dia ver o meu Brasil sendo aclamado como gigante que é, sendo ovacionado pelo povo pelas conquistas morais, pelos políticos com conduta ilibada, e, principalmente, com um povo feliz realmente e que conseguirá pagar as suas contas com o dinheiro de seu trabalho, e com o salário mínimo o suficiente para as despesas necessárias. "PF apreende mais de R$ 1 milhão em dinheiro vivo com alvos de esquema em Mauá", odiario.com
Narioflasio de Souza, via odiario.com

Meninas 1
Proibiram os pais de dar umas chineladas nos filhos, agora que a molecada percebeu que ninguém mais tem autoridades sobre eles, aprontam dessas com a certeza da impunidade. "Meninas desaparecem para cumprir desafio", página A4, 3/1/2019.
Teofilo Amaro, via odiario.com

Meninas 2
Nada que, na minha época, uma boa conversa não resolvia. Depois, obviamente, umas cintadas para nunca esquecer a conversa.
Luiz Alberto Valério, via odiario.com

Meninas 3
São meninas inteligentes e corajosas mas falta orientação de como se portar diante da internet. Quem sabe elas tiram a lição que não podem ainda sair de casa sozinhas sem a presença dos pais ou responsáveis. Mas se não tem quem mostra a verdade, enquanto os pais trabalham! Bandidos estão enchendo a cabeça dos nossos filhos na internet. Precisamos ficar de olhos bem abertos.
Dalice Gelli, via odiario.com

Meninas 3
Elas têm tamanho, mas a cabeça é feita de ilusões baseadas em filmes de ação. Não sabem o risco que correram ao tentar viver perigosamente. Não está fácil hoje cuidar das crianças e jovens.
Ana Cristina, via Facebook

Recape
Melhor eles terem tampado o buraco com cimento do que ter deixado uma cratera no asfalto causando risco de acidente. Sabemos que não é essa massa que deve ser utilizada em asfalto, pois tem uma resistência bem menor do que o piche, material que é usado para fazer ou recapear o asfalto. "Cimento para tapar buraco na rua", página A4, 29/12/2018.
Carlos Eduardo Lima LS, via Facebook

Participe e comente