A primeira edição do Risco Sem Risco, realizada sábado, 1º, no Batcave, em Maringá, reuniu quadrinistas de Maringá, Londrina, Umuarama e Mandaguari que debateram a transição do mercado editorial brasileiro, entre outros assuntos. O evento foi gratuito. "Venda em banca de revista praticamente acabou", anunciou o londrinense Eloyr Pacheco, em sua palestra abrindo o evento.

Entre as opções para os artistas venderem suas histórias em quadrinhos estão a internet ou colocar as revistas embaixo do braço e irem para eventos por conta própria. Como foi no Risco sem Risco, que serviu também para os quadrinistas se conhecerem, apesar de morarem perto, alguns nunca tinham se encontrado.

A HQ autoral é um segmento que não tem muitos frutos comerciais em Maringá, ficando mais na boa vontade e insistência dos autores. Apesar disso, o evento reuniu um amplo material dos participantes.

Entre as publicações que foram comercializadas e trocadas na feira de gibis estavam o livro ilustrado "Doran", do maringaense Christian Sergi, a revista cultural "Sossego", do trio umuaramense Augusto Silva, João Oliveira e Edu Tadeu, a "Cotidiano Contínuo", de Rogério Curiel, de Mandaguari, a revista do herói "Escorpião de Prata", do londrinense Eloyr Pacheco, entre outros. Todas disponíveis nas páginas dos artistas na internet e também na loja O Porão Discos. Os quadrinistas também levaram artes originais para o público.

O mercado de quadrinhos vive sua própria crise e piora com a de outros setores, como bancas e livrarias fechando. Os artistas não se acomodam. Tanto Sergi quanto Curiel falaram sobre suas experiências na Pixel Show, em São Paulo, e na Bienal de Quadrinhos de Curitiba, respectivamente.

No papo foi apontado como uma das opções divulgar e vender as HQs em shows de rock. Como faz Augusto Silva em parcerias com bandas em Umuarama. Também foram lembradas iniciativas que deram resultado, como o Mechanics em Goiânia, o Kães Vadius cujo vocalista HulkaBilly fez as capas de discos e cartazes de shows, o Asteróides Trio cujo baterista faz animações para as bandas, o livro "Magnéticos 90", de Gabriel Thomaz, dos Autoramas.

Participe e comente