O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, divulgou as projeções econômicas da instituição na coletiva de imprensa realizada após o anúncio de sua decisão monetária, quando optou por manter sua taxa básica de juros - a de refinanciamento - em 0% e a de depósitos, em -0,4%. Para o Produto Interno Bruto (PIB) da zona do euro, as estimativas para 2018 e 2019 anos foram reduzidas.

Draghi anunciou que a projeção do BCE para a expansão do PIB da zona do euro em 2018 é de 1,9%, abaixo dos 2,0% anunciados em setembro. Já no próximo ano a expectativa é de que a atividade se expanda a 1,7%, projeção revisada de 1,8% antes divulgado pela instituição. Em 2020, a mesma expansão de 1,7% deve se repetir, como já esperava a autoridade monetária em setembro. A projeção para 2021 foi divulgada pela primeira vez hoje e mostra que a expectativa é de que o PIB na região cresça 1,5% naquele ano.

A projeção para a inflação na região em 2018, por outro lado, era de 1,7% em setembro e foi revisada para 1,8%, apontou Draghi. Em 2019, no entanto, a inflação deve acelerar menos que o previsto anteriormente, de 1,7% para 1,6%. Já em 2020, a expectativa em setembro para o indicador foi reafirmada em 1,7% e, em 2021, deve avançar a 1,8%.

Participe e comente