O dólar opera em baixa ante o real na manhã desta sexta-feira, 11, influenciado pela queda do índice DXY da moeda americana em meio à nona alta consecutiva dos preços do petróleo e após novas declarações "dovish" do presidente do Fed. Internamente, o IPCA de dezembro mostra que a inflação segue ancorada, ajudando a apoiar o recuo ante o real. Além disso, persiste otimismo com a perspectiva de envio da proposta de reforma da Previdência ao Congresso no início de fevereiro.

Do lado externo, contribuem a reafirmação pelo presidente do Federal Reserve (Fed), Jerome Powell, de que a instituição será "paciente" em relação a novos aumentos de juros este ano. Vários outros dirigentes do Fed utilizaram o mesmo tom durante pronunciamentos ao longo desta quinta-feira, 10. Há ainda notícias de que o Brexit poderá ser adiado em relação à data final de 29 de março, o que ajudou a impulsionar a libra esterlina.

Às 9h25 desta sexta, o dólar à vista caía 0,22%, a R$ 3,70. O dólar futuro para fevereiro recuava 0,32%, a R$ 3,7035. Em Nova York, no mesmo horário, o dólar caía a 108,29 ienes, de 108,44 ienes no fim da tarde de quinta, enquanto o euro avançava a US$ 1,1523, de US$ 1,1499 ontem, e a libra subia a US$ 1,2792, de US$ 1,2746 na véspera.

Participe e comente