A alimentação, necessária para que seja mantido o alto nível de competitividade nos Jogos Universitários Brasileiros, possui números impressionantes nesta edição em Maringá. De acordo com a coordenadora do setor, nutricionista Ellen Moura, a equipe da cozinha – composta por 45 colaboradores – começa os trabalhos às 4h da manhã e só encerra depois das 23h. São, ao todo, 19 horas ininterruptas para servir mais de 3,5 mil pessoas, entre atletas, técnicos e dirigentes vindos de todo o Brasil.

Para dar conta dos famintos, o restaurante manipula 1,8 mil quilos de alimentos por dia e possui cinco ilhas de distribuição (self-service) e 836 lugares. Em média, são servidas aproximadamente 4 mil refeições diariamente.

Os atletas aprovam os resultados de toda essa operação. "O serviço de reposição das comidas é muito rápido. De todos as edições que eu participei, essa tem sido a melhor em todos os sentidos, inclusive na alimentação", afirma Alessander Silva, que defende o voleibol pela Universidade Nilton Lins (AM).

Participe e comente