Os exercícios são fundamentais para o fortalecimento dos músculos. A estrutura muscular tem a função de realizar os movimentos, estabilizar e sustentar o esqueleto e ainda controlar algumas das funções vitais para o pleno funcionamento do organismo. O músculo cardíaco é responsável pelo bombeamento e distribuição do sangue, os músculos da panturrilha(batata da perna) também ajudam a bombear e distribuir o sangue e a drenar possíveis edemas nos membros inferiores. E há ainda os músculos que atuam como controle do esfíncter, do períneo, etc...

Por isso, quando ocorrem as lesões em alguma articulação que impossibilitem o movimento, a musculatura envolvida fica fraca e pode gerar sobrecarga, acarretar desequilíbrio e alterar a mecânica Correta do movimento.

"O corpo humano não foi feito para ficar parado. Os movimentos são importantes para deixar os músculos saudáveis e garantir uma melhor qualidade de vida. Se você não tempo para cuidar da sua saúde agora terá que encontrar tempo para tratar da sua doença depois", afirma o fisioterapeuta Marcelo Gonçalves Gandara, pós-graduado em biomecânica e especialista, entre outros, em fisioterapia desportiva e geriatria.

A Fisioterapia tem um papel fundamental na elaboração e aplicação de exercícios que condicionem e recuperem possíveis alterações. Ela é importante também para evitar o aparecimento e a progressão de lesões. Por mais capacitado que os músculos estejam é preciso que se tenha cuidado com os excessos, pois a sobrecarga pode causar inflamações, rupturas e lesões musculares, nos tendões, nos ligamentos, articulações e até alterações na coluna, como as hérnias de disco que podem impossibilitar a realização dos mais simples movimentos do cotidiano.

"Essas lesões podem ser sérias e ocorrer com qualquer um de nós, até mesmo com Atletas e pessoas que costumam praticar atividades intensas. Mas é a partir dos 40 anos que a preocupação aumenta, uma vez que nessa faixa etária há uma diminuição na capacidade de contração e regeneração muscular", afirma o especialista.

Quanto mais condicionados os músculos estiverem maiores serão as chances de evitar a sobrecarga nas articulações e processos degenerativos, como a artrose precoce. Nos atletas, as lesões musculares deixam cicatrizes que não possuem, como os músculos, a capacidade de contrair e alongar.

"As cicatrizes devem ser trabalhadas e passar por uma adaptação para que o músculo não seja prejudicado", explica.

O excesso de carga também pode causar danos em outras estruturas do corpo como os meniscos, as cartilagens e os discos intervertebrais que atuam como amortecedores e evitam o desgaste e a degeneração precoce das articulações.

Os tendões, que fixam os músculos aos ossos, estão sujeitos a inflamações e lesões que podem levar a ruptura e, em alguns casos, a cirurgia.

Os ligamentos, que estabilizam e direcionam o movimento, estão propensos a lesões que impedem o movimento correto, geram instabilidade e degeneração das articulações.


"A fisioterapia pode atuar tanto na recuperação de lesões simples ou até nas mais complexas que não requerem cirurgia. Atua ainda na preparação para as intervenções para melhorar. Condignamente e acelerar o processo de recuperação. Depois das cirurgias, o fisioterapeuta trabalha para reeducar e recondicionar tendões, ligamentos e todas as estruturas afetadas para que possam voltar a realizar suas funções".

Para prevenir as lesões é necessário um acompanhamento profissional nos exercícios específicos de equilíbrio, alongamento e fortalecimento muscular por meio de RPG, pilates, musculação, exercícios com elásticos e exercícios que capacitem as pessoas a sustentar o peso do próprio corpo, como fazem os ginastas.

"É preciso ter a capacidade de diagnosticar, condicionar e tratar cada indivíduo de maneira única, sempre respeitando os limites e as características de cada pessoa", conclui o fisioterapeuta.

Participe e comente