O acidente vascular encefálico (AVC), também conhecido como "derrame cerebral", é a segunda principal causa de morte no Brasil, sendo também a doença que mais causa incapacidade, como paralisias motoras, de fala ou deglutição. Segundo o Ministério da Saúde, o Brasil registra cerca de 68 mil casos de óbito por AVC ao ano. Ele pode ser classificado em dois tipos: isquêmico, quando o cérebro deixa de receber o fluxo normal de sangue diante do entupimento de uma artéria; e hemorrágico, em que acontece o rompimento de uma artéria, causando hemorragia no sistema nervoso central. Cerca de 85% dos casos são isquêmicos.

O sucesso no tratamento depende da velocidade em que o paciente recebe atendimento especializado e a trombectomia mecânica, uma técnica para desobstrução da artéria, mostra-se como uma forma eficaz de tratar pacientes que chegam em até 24 horas na emergência. Ela é feita através de um cateter, que é introduzido nas artérias da perna e segue até o vaso cerebral acometido. Ali é feito um cateterismo cerebral, em que, em 80% dos casos, é possível desobstruir o vaso até mesmo em casos graves. Um estudo publicado na revista New England of Medicine constatou que 48,6% dos pacientes tratados com a trombectomia estavam funcionalmente independentes, comparados a 13,1% do grupo tratado de forma convencional.

"Foi observado que esse benefício se manteve mesmo no grupo mais idoso, em que o acometimento funcional tende a ser mais grave e mais incapacitante. Eles também são o grupo de risco, principalmente aqueles que sofrem de hipertensão arterial sistêmica, diabetes, colesterol elevado, tabagismo, sedentarismo e obesidade. O AVC também pode ser causado por arritmias cardíacas não identificadas ou tratadas"

O procedimento, considerado de alta complexidade, deve seguir alguns critérios para ser aplicado, como chegar à emergência em até 24 horas e apresentar um quadro de oclusão de um grande vaso do cérebro, além de manter o bom fluxo de sangue colateral. Ele está presente em emergências que seguem um protocolo de abordagem do AVC, em que as técnicas de tratamento são aplicadas após discussão do caso por equipes especializadas.

"Saber identificar os primeiros sinais do AVC é essencial para contribuir para um tratamento eficaz. Alteração de fala e dos movimentos, perda de visão sem motivo, mudanças abruptas na simetria da face (como boca ou sorriso tortos), perda de força e formigamento nos braços e pernas são os sinais mais evidentes"

Ter um estilo de vida mais saudável, com a prática de exercícios físicos, a priorização de uma alimentação rica em verduras, frutas e legumes, parar de fumar e reduzir o consumo de bebida alcoólica, ajuda a prevenir o desenvolvimento do AVC.

Website: https://www.saolucascopacabana.com.br/

Participe e comente