O desembargador Laertes Ferreira Gomes, da 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR), negou o pedido de habeas corpus ao ex-governador Beto Richa (PSDB), candidato ao Senado, e de sua mulher Fernanda Richa. Eles estão presos há dois dias em Curitiba após uma operação da Polícia Federal para investigar irregularidades em programa de estradas rurais.

O desembargador, na decisão de cinco páginas, menciona ainda a preocupação com o que chamou de "organização criminosa hierarquizada" com suspeitas de fraudes a licitação, lavagem de dinheiro e corrupção envolvendo mais de R$ 70 milhões.

Na decisão de quarta-feira (12), o desembargador disse que a medida foi tomada para servir de "referência" para impedir o descaso às instituições públicas. Laertes Gomes autorizou ainda a entrada de "alimentação específica" para o paciente que sofre de doença celíaca (intolerância a glúten).

Beto Richa e Fernanda Richa estão presos, há dois dias, no Regimento da Polícia Montada Coronel Dulcídio, em Curitiba. A Justiça Federal mandou bloquear R$ 50 milhões em bens de aliados do ex-governador.

Segundo a secretaria estadual da Segurança Pública e Administração Penitenciária, Richa e a esposa ocupam duas salas, separados um do outro.

Participe e comente