Um homem foi morto com três tiros na tarde de domingo (16), em Maringá. O homicídio aconteceu por volta das 14h40, na Rua Néo Alves Martins, Vila Operária, a poucas quadras do Parque do Ingá. De acordo com a Polícia Militar (PM), o motivo do crime foi o envenenamento de um cachorro que pertenceria ao suspeito do autor dos disparos.

Wanderlei de Souza Cuminoti, 29 anos, teria sido o responsável pelo envenenamento do animal. Ele foi alvejado com três tiros. Uma equipe do Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma em Emergência (Siate) foi acionada e prestou os primeiros socorros à vitima, que morreu a caminho do hospital.

Segundo a Polícia Civil, o crime teria sido praticado por José Maria Gomes, 63 anos, que reside em uma casa de madeira, geminada à residência da vítima. De acordo com a polícia, Gomes teria culpado Cuminoti pela morte do cachorro - que morreu por volta de meio-dia de domingo - e passado acusá-lo de envenenar o animal.

Após uma breve troca de acusações e ofensas, Gomes teria se armado com um revólver e efetuado dois disparos contra Wanderlei, ferindo-o no pescoço e braço esquerdo. Mesmo gravemente ferido, a vítima ainda conseguiu correr para dentro de sua casa e pediu socorro ao pai, Waldemar Cuminati, que estava deitado.

O delegado Nilson Rodrigues da Silva, da Polícia Civil, confirmou que o homem teve um dos pulmões e outros órgãos internos perfurados pelo projétil que atingiu seu pescoço. Segundo o delegado, a trajetória do projétil ¿ de cima para baixo - confirmaria que a vítima estava agachada, sem chance de defesa, quando foi alvejada.

Familiares da vítima contaram que o autor dos disparos teria fugido de bicicleta, em direção da Avenida Riachuelo. Até o final da tarde desta segunda-feira, ele não havia sido localizado. Procurados pela reportagem de O Diário, familiares de Cuminoti recusaram dar entrevista. ¿Estamos abalados e não vamos falar com a imprensa¿, disse uma mulher que não se identificou. Com mais este crime, eleva-se para 31 o total de assassinatos registrados, neste ano, em Maringá, média de um homicídio a casa sete dias.

 

Atualizada às 20h25.

Participe e comente