Dom Jaime Luiz Coelho, o primeiro arcebispo de Maringá, filho de João Amélio Coelho e Guilhermina Cunha Coelho, faleceu na madrugada desta segunda-feira (5), vítima de insuficiência renal crônica.

Nascido em 26 de julho de 1916, em Franca (SP), fez o seminário menor em Campinas (SP), cursando depois Filosofia e Teologia no Seminário Central do Ipiranga, na capital de São Paulo. Recebeu a ordenação presbiteral na Catedral de Ribeirão Preto (SP), em 7 de dezembro de 1941.

Foi vigário cooperador da Catedral, secretário geral do bispado e chanceler da Cúria diocesana. Em 1944, foi designado cura da Catedral. No dia 3 de dezembro de 1956, aos 40 anos, foi designado bispo da recém-criada diocese de Maringá. A ordenação episcopal ocorreu em 20 de janeiro de 1957 na Catedral de Ribeirão Preto.

Maringá

A história de Dom Jaime na Cidade Canção iniciou-se no dia 24 de março de 1957, quando o religioso desembarcou no Aeroporto Gastão Vidigal em Maringá. Nesse dia foi canonicamente instalada a Diocese de Maringá e Dom Jaime tomou posse como bispo da nova diocese.

Em 16 de outubro de 1979, com a criação da Província Eclesiástica e elevação de Maringá a arquidiocese, foi promovido a arcebispo metropolitano. A posse como arcebispo deu-se em 20 de janeiro de 1980.

Em 11 de julho de 1997, depois de 40 anos como líder da Arquidiocese de Maringá, Dom Jaime, então com 81 anos, entregou o governo arquidiocesano a Dom Murilo Krieger, atualmente arcebispo de Salvador, na Bahia, Primaz do Brasil. Ao completar 75 anos, em 1991, conforme recomenda a Igreja, tinha apresentado à Santa Sé sua renúncia ao governo da Igreja Particular de Maringá. Em razão de sua boa saúde, porém, o Papa João Paulo II preferiu mantê-lo no cargo ainda por seis anos.

Realizações

Foi idealizador e responsável pela construção da Catedral Basílica Menor de Nossa Senhora da Glória.

Idealizou e construiu o Seminário Arquidiocesano Nossa Senhora da Glória: inaugurado em 1962, na condição de Seminário Menor (curso ginasial) e em 1982, com o Curso de Filosofia, na condição de Seminário Maior.

É considerado fundador da Universidade Estadual de Maringá (UEM). Fundou e dirigiu a Faculdade Estadual de Ciências Econômicas, primeiro curso superior de Maringá (Ética e Sociologia) e embrião da atual UEM. É o primeiro professor Honoris Causa da instituição.

Responsável pela construção da Livraria Católica, depois entregue às religiosas da Pia Sociedade Filhas de São Paulo (Irmãs Paulinas); Hoje Livrarias Paulinas.

Transformou o Albergue Noturno em Albergue Santa Luíza de Marillac.

Criou o jornal diário Folha do Norte do Paraná;

Criador, com ajuda de católicos italianos seus amigos de Brescia, do processo de desfavelamento da Vila Vardelina, fazendo com que Maringá seja hoje reconhecida como cidade sem favelas;

Auxiliou na criação da Cocamar Cooperativa Agroindustrial.

Foi fundador e o primeiro Diretor Presidente do Canal 8, TV Cultura (hoje RPCTV afiliada à Rede Globo).

Participou da criação da Associação Cultural e Esportiva de Maringá (Acema);

Trouxe para Maringá o Colégio Marista

Foi o primeiro presidente do Regional Sul II da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB);

Em 2003, foi o primeiro a receber a Comenda Américo Marques Dias, maior honraria do empreendedorismo maringaense;

Participou, na Cidade do Vaticano, de todas as sessões do Concílio Vaticano II (1962-1965)

Esteve com os Papas Pio XII, João XXIII; Paulo VI, João Paulo II e Bento XVI

Atividades

1. Obras

Seminário Menor N. S. da Glória (funcionou do início de 1962 ao final de 1968).

Seminário Arquidiocesano N. S. da Glória (Filosofia) (funciona desde início de 1983).

Seminário Propedêutico Santo Cura d'Ars (funciona desde início de 1993).

Catedral N. S. da Glória (julho 1959-10/05/1972), dedicação em 03/05/1981.

Prédio da Cúria Metropolitana de Maringá.

Auditório Dona Guilhermina, ao lado da Cúria.

Auditório João Paulo II, junto ao Seminário N. S. da Glória.

Elevação de Maringá a Arquidiocese (16/10/1979), instalação canônica em 20/01/1980.

Título de Basílica Menor para Catedral (21/01/1982).

Monumento a N. S. da Glória em frente à Catedral (inauguração em 24/03/1996).

-Apresentação da renúncia à Arquidiocese: 24/04/1997.

-Aceitação pela S. Sé e nomeação do sucessor: 17/05/1997.

-Transferência do governo ao sucessor: 11/07/1997.

Museu Arquidiocesano (3° piso da Catedral) inaugurado em 07/12/2000.

Capela do Seminário Arquidiocesano (1990).

Centro de Pastoral da Arquidiocese (Cepa), inaugurado em 21 de setembro de 2002, no prédio reformado da antiga Associação Diocesana de Assistência Rural (Adar) fundada por Dom Jaime em 1965.

Colégios católicos: 18 colégios ou escolas católicas, incluindo-se os fundados em paróquias da atual Diocese de Paranavaí (a 73 quilômetros de Maringá). Todos, ao tempo de sua criação, foram entregues a congregações religiosas (Uma masculina ¿ Maristas; 17 femininas, de vários Institutos de Vida Consagrada). Houve, além disso, duas congregações religiosas femininas que cuidaram pastoralmente de duas paróquias (Inajá, a 95 quilômetros de Maringá, e Presidente Castelo Branco, a 32 quilômetros de Maringá).

Entidades assistenciais ou de promoção humana:

Santa Casa de Misericórdia,

Albergue Santa Luíza de Marillac,

Livraria São Paulo (Paulinas)

Núcleo Social Papa João XXIII (erradicação de favelas, / construção de casas de alvenaria a serem ocupadas, por cinco anos, por famílias pobres orientadas a poupar para aquisição do terreno para casa própria, / fornecimento de cursos profissionalizantes),

Lar Escola da Criança (reforço escolar / ensino profissionalizante para crianças e adolescentes),

41 Sindicatos de Trabalhadores Rurais,

Associação Diocesana de Assistência Rural (Adar - capacitação técnica de trabalhadores rurais),

10 asilos São Vicente de Paulo para idosos,

Obra do Berço (socorro a grávidas carentes),

Roupeiro Santa Rita (roupa e agasalhos para carentes),

Cáritas Diocesana (fundada em 1961),

3 creches em Maringá,

1 Orfanato em Floresta (a 28 quilômetros de Maringá)

3 Obras sociais em Marialva (a 18 quilômetros de Maringá), Sarandi (a 10 quilômetros de Maringá) e Mandaguari (a 34 quilômetros de Maringá) - escolarização e orientação de crianças e adolescentes em situação de risco,

Participação em campanhas e movimentos sociopolíticos de defesa dos pobres e de princípios cristãos,

Noviciados religiosos e casas de formação religiosa: 5

Jornal diário "Folha do Norte do Paraná" (25/09/1962 ¿ 30/06/1974)

Participação na criação da TV Cultura, hoje afiliada à Rede Globo de Televisão,

Apoio e incentivo a Pe. Gerhard Schneider na criação e implantação da TV 3° Milênio,

Participação na criação da Faculdade Estadual de Ciências Econômicas, primeira escola superior de Maringá (Dom Jaime foi o 1° diretor), embrião da atual UEM. Por ter trazido (10/01/1958) os Irmãs Maristas das Escolas, hoje mantenedores da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR), Dom Jaime pode ser considerado responsável indireto pela criação da PUC-PR campus de Maringá.

2. Implantação

Criação de 34 novas paróquias na (arqui)diocese de Maringá. Antes de 1968, criação de 7 novas paróquias da atual Diocese de Paranavaí.

Criação da Missão Nipo-Brasileira para Evangelização de Japoneses e seus descendentes. Dom Jaime conseguiu junto a dioceses do Japão dois sacerdotes japoneses, que trabalharam, até à morte, na (arqui)diocese de Maringá.

Visitas pastorais a paróquias da (arqui)diocese, de 1957 a 1997: 1078 visitas, com 2.031 de matrizes e capelas visitadas. Nenhuma paróquia recebeu menos de 3 (três) visitas pastorais. A campeã foi Santo Cura d'Ars, de Paiçandu, com 34 visitas nesses 40 anos. Ente 1957 e 1968: 114 visitas pastorais a 15 paróquias da atual Diocese de Paranavaí, num total de 306 localidades visitadas.

Desde 1960 ordenou 25 presbíteros para a (arqui)diocese de Maringá. Ordenou outros 26 para Institutos Religiosos ou outras Igrejas Particulares.

Criação da Diocese de Paranavaí, integralmente desmembrada da Diocese de Maringá.

Criação (início de 1968) da Coordenação Diocesana de Pastoral (hoje Coordenação da Ação Evangelizadora), com dois padres jovens liberados. Montagem do 1° Plano de Pastoral Orgânica da Diocese. Implantação das CEB ¿ Comunidades Eclesiais de Base como prioridade pastoral. Criação da Pastoral Vocacional, Pastoral Catequética, Pastoral Litúrgica, Pastoral da Juventude, Pastoral da Criança, Pastoral Familiar, Encontros de Preparação para Batismo e para Matrimônio, os vários Conselhos (integrados por presbíteros e/ou por fieis cristãos leigos) etc.

Instituição do retiro espiritual anual do clero (retiro fechado, de 3 dias), bem como do curso do clero, também anual, três dias de estudo orientado por renomados mestres das ciências eclesiais

Projeto Igrejas-Irmãs (temporário) com a Diocese de Carolina (MA).

Em seu governo diocesano se implantaram: Sociedade São Vicente de Paulo, Movimento Familiar Cristão, Cursilho de Cristandade, Juventude de Ação Mariana, Focolare, Renovação Carismática Católica, Oficinas de Oração e Vida e outros. A partir do primeiro grupo (05/06/1995) criaram-se em várias paróquias grupos do Amor Exigente. Em âmbito paroquial foi ainda introduzido, com anuência da autoridade diocesana, um ou outro movimento.

Dois presbíteros da Arquidiocese de Maringá nomeados bispos: padres Vicente Costa, maltês de origem, e Edmar Peron (nascido em Maringá), que iniciou aqui a sua formação.

3. Documentos

Dom Jaime publicou uma só Carta Pastoral: a de saudação Sobre a Plenitude do Sacerdócio, na data da sua posse, 24 de março de 1957.

Mais de três mil textos publicados em jornais de Maringá. Coluna dominical no principal diário da cidade, desde 1° de janeiro de 1958 até final de setembro de 2011(*).

Centenas de escritos seus foram publicados, ao longo de décadas, por periódicos como Gazeta do Povo, Voz do Paraná, e Correio de Notícias, de Curitiba.

Programa semanal radiofônico "Por um Mundo Melhor", na Rádio Cultura de Maringá, desde 23/07/1957 até 1962, quando Dom Jaime se ausentou para as sessões do Concílio Vaticano 2°. Depois de 1965, sua fala semanal passou a cinco minutos semanais (às 7h55m) na TV Cultura de Maringá, canal 8, desde 25/09/1974 até 01/01/2007, quando a Rede Paranaense de Comunicação (RPC) passou a não mais exibir a programação religiosa matinal da Igreja Católica.

Participe e comente